Google+ Followers

Translate

follow in instagram

Instagram

sábado, 30 de junho de 2012

Crise

"Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos.

A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias.

Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar “superado”.
Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais aos problemas do que às soluções.

A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as saídas e soluções fáceis.

Sem crise não há desafios, sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um. Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo.

Em vez disso, trabalhemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la."

(Albert Einstein)

quinta-feira, 28 de junho de 2012

CBF muda horário de Palmeiras x Coritiba por transmissão da TV

O primeiro jogo da final da Copa do Brasil ganhou um novo horário. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que antes tinha marcado o duelo para 21h (de Brasília), alterou o início da partida para 21h50. Isso por causa da Rede Globo, que detém os direitos de transmissão do campeonato e pretende mostrar o jogo na próxima quinta-feira, dia 5 de julho.

Desde segunda-feira, a CBF já tinha marcado a final para 21h. Porém, o interesse da emissora fez com que a alteração acontecesse. Já o duelo de volta, no Estádio Couto Pereira, segue como já estava definido: no dia 11, às 21h50, em Curitiba, também com transmissão na TV aberta.

O Palmeiras resolveu receber seu adversário na Arena Barueri, como já vinha fazendo nas fases anteriores, inclusive na semi contra o Grêmio. Já o Coritiba chegou à decisão após eliminar o São Paulo e conseguiu através do sorteio o direito de fazer a última partida em casa.
terra.com

Perda de peso aumenta os níveis de testosterona em homens, diz estudo



Perder peso pode aumentar os níveis do hormônio testosterona em homens de meia-idade, segundo estudo feito pela Hospital Universitário St. Vincent, em Dublin, Irlanda.

A pesquisa envolveu cerca de 900 homens com 54 anos em média, sobrepeso e pré-diabetes. Cerca de um quarto desses homens tinham baixos níveis de testosterona (abaixo de 300 nanogramas por decilitro) quando começou o estudo. Foram excluídos aqueles que já tinham diagnóstico de hipogonadismo (deficiência funcional nas glândulas) ou tomavam medicamentos que poderiam influenciar nos níveis do hormônio.

Baixos níveis de testosterona são relacionados à redução do desejo sexual e do número de espermatozóides e ao aumento das mamas.

"Os médicos devem encorajar os homens com sobrepeso e com baixos níveis de testosterona a tentar perder peso antes de recorrer à reposição hormonal", disse Frances Hayes, médico e coautor do trabalho, ao site de divulgação científica "Science Daily".

Para fazer o estudo, que durou um ano, os pesquisadores dividiram os voluntários em três grupos: o primeiro participou de um programa de exercícios (150 minutos de atividade por semana) e dieta, o segundo recebeu drogas para diabetes e o terceiro tomou placebos.

O grupo que modificou o estilo de vida perdeu em média 7,8 quilos em um ano e teve um aumento nos níveis de testosterona proporcional à diminuição do peso corporal e da circunferência da cintura. A incidência de homens com baixos níveis do hormônio caiu de 20% para 11% --uma redução de 50%. Não houve alterações significativas nos grupos que tomaram medicamentos ou placebos.

O trabalho foi apresentado nesta semana no encontro anual da The Endocrine Society, em Houston (EUA).
Por
JULIANA VINES
folha.com/

terça-feira, 26 de junho de 2012

Gripe aviária de 2009 matou 15 vezes mais que o anunciado

A pandemia de gripe aviária em 2009 causou 15 vezes mais mortes que a estimativa baseada exclusivamente em exames de laboratório, destaca um estudo publicado nesta terça-feira pela revista médica The Lancet Infectious Diseases.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) registrou até o momento 18.500 óbitos pelo vírus H1N1 - confirmados com provas de laboratório - entre abril de 2009 e agosto de 2010, mas o novo estudo estima em entre 151.700 e 575.400 as vítimas fatais da gripe aviária.

"Este é um dos primeiros estudos que facilita estimativas globais sobre o número de óbitos provocados pela gripe H1N1 e, ao contrário de outras avaliações, inclui os países do sudeste asiático e a África, onde os dados sobre a mortalidade associada às gripes são limitados", assinala Fatimah Dawood, do Centro de Controle e Prevenção de Enfermidades (CDC) de Atlanta.

Ao contrário das gripes sazonais, que afetam principalmente os idosos, a pandemia de 2009 atingiu muito mais as pessoas com menos de 65 anos (80% do total dos óbitos).

O sudeste asiático e a África foram as regiões mais afetadas, com 51% de todos os óbitos atribuídos ao H1N1, contra a média mundial de 38%.

"Os resultados mostram a necessidade de se melhorar a resposta global diante de futuras pandemias e de se desenvolver e distribuir vacinas contra gripe na África e no sudeste da Ásia", destacam os autores do trabalho.
Por
jesus alcazar
© Copyright AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados

segunda-feira, 25 de junho de 2012

O tempo de Deus Temos que aprender, desde cedo que “tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu”. (Ec 3.1)

Aos 17 anos, José do Egito era um jovem cheio de vida, mas enfrentou lutas e tribulações que o atingiram por todos os lados, parecia até mesmo que o diabo estava no controle, tudo parecia conspirar contra ele. Porém, José amava o Senhor e Deus era com ele. José conhecia o caráter de Deus e, por isso, mesmo diante das circunstâncias, não deixou de amar a Deus. Ele foi vendido pelos próprios irmãos a mercadores de escravos do Egito. Quando José chegou ao Egito, foi novamente vendido como escravo a Potifar, oficial de Faraó; e, na casa desse homem, não se dobrou diante da proposta lasciva da mulher de Potifar. No entanto, não deixou de amar o seu Deus e professar sua fé nele. Às vezes, diante de situações tão difíceis, não sabemos esperar o tempo de Deus. Somente Ele sabe o tempo e a hora determinados. Ele não se atrasa e jamais erra o dia e a hora de cumprir cada promessa na nossa vida. José era fiel a Deus, em todo tempo o seu coração aguardava o cumprimento do propósito do Senhor. Ele chegou a ser o governador de toda a terra do Egito, a maior potência da época (Gn 37 e 47). Conheço um moço muito querido, baterista e pai de seis filhos. Estes são muitos carinhosos comigo. Certo dia, recebi o abraço do menor, que chamou-me a atenção por estar com o rosto todo cortado, manchado de mercúrio cromo. Perguntei a ele o que tinha acontecido. Imediatamente, a irmã dele disse: “Ah, pastor, ele fez a barba”. O menino pegou o barbeador do pai e se cortou todo, porque não era o tempo de isso ser feito.
Temos que aprender, desde cedo que “tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu”. (Ec 3.1) Quando realmente nos rendemos ao Senhor, Ele começa a agir. Quando a Bíblia diz que todas as coisas cooperam para o nosso bem, não se refere apenas aos sonhos grandes, mas também às pequenas coisas. Se você chega ao seu emprego e o chefe lhe diz que vai aumentar seu salário dez vezes mais, você diz: “Glória a Deus, aleluia!” Mas se for demitido, qual será sua atitude? Deus continua sendo o mesmo Deus. Precisamos enxergar com os olhos do Senhor e saber realmente descansar nele e crer na Palavra. Assim como Ele foi com José, Ele é com você. No momento em que assumimos a verdade da Palavra de Deus na nossa vida, nada, nenhuma circunstância pode ofuscar aquilo que temos com o Senhor. E, nacima de toda e qualquer situação, continuamos em fé afirmando assim como Jó: “Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre terra. Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado.” (Jó 19.25; 42.2)

Por
Márcio valadão

O amor no namoro

Dois jovens, rivais pela mão de uma linda moça numa comunidade rural, ficaram um atrapalhando o outro até que, finalmente, resolveram acertar as contas com os punhos numa noite escura, na beira do rio. Quando a poeira abaixou, um deles, machucado, afastou-se em desgraça enquanto o outro, um pouco menos machucado, foi triunfante tomar a mão da bela donzela. Isso é que é amor!

Mas será que é? É isto o que o apóstolo João descreveu: "Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus" (1 João 4:7)? Dificilmente, em qualquer lugar tal amor piedoso é menos provável que seja encontrado do que no romance ao estilo moderno. Deus parece ser quase um intruso no namoro.

O fato é que Deus é Aquele que por primeiro identificou a necessidade de companhia para o homem e que originou o casamento. O que quer que no romance seja chamado "amor" que não se origine em Deus é uma falsificação. Qualquer casamento baseado num tal amor sem Deus está sobre uma fundação abalada, ou até pior.

Amor para Deus

Um genuíno amor a Deus afetará o conceito do namoro. Ele será considerado uma oportunidade para se familiarizar com uma pessoa, de modo a avaliar seu caráter, personalidade, intelecto, disposição e aptidão em geral para o casamento. Infelizmente, o único modelo que muitas pessoas têm para o namoro é o de Hollywood, que parece medir o sucesso em termos do prazer sexual conseguido. A química sexual é tão forte, contudo, que quando ela começa a influenciar o desenvolivmento do namoro, o casal tende a ficar cego para todas as outras considerações.

O amor a Deus afetará nossa escolha de um parceiro para o namoro. Em vista do conceito mencionado acima, nenhum indivíduo que seja moral e espiritualmente inapto para o casamento deveria ser namorado. O namoro tende a aumentar nossa tolerância das faltas do outro. Enquanto essas faltas sejam físicas, econômicas, sociais ou mesmo temporais por natureza, tal tolerância pode não ser fatal. Mas muito freqüentemente, faltas morais e espirituais chegam a ser aceitas e os resultados são desastrosos para a alma.

O amor a Deus também afetará a nossa conduta no namoro. Deus será reconhecido como um acompanhante em todos os encontros. Seu olhar que tudo vê não será esquecido, mesmo no escuro. "De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra" (Salmo 119:9).

Amor para companheiro

Nosso amor por um parceiro de namoro precisa ser um amor piedoso. Tal amor "não busca o que é seu". Um rapaz cuja preocupação principal no namoro e casamento é o que ele vai conseguir de uma moça não é um bom candidato para o casamento; nem o é a moça que é inteiramente egoísta. Enquanto um homem não reconhece o amor sacrificial de Cristo pela igreja como seu ideal, ele não está preparado para o casamento. Nem uma moça estará pronta para o casamento enquanto não estiver ansiosa para ser um "auxílio" para seu esposo. Se o egoísmo é um problema no namoro, será muito mais no casamento.

Um amor cristão está profundamente preocupado como o bem-estar espiritual de outros. Um homem com tal amor, tendo escolhido uma mulher piedosa para sua companheira, jamais pensaria em violar a virtude dela, não importa quão forte suas paixões possam ser. Ele não a vê como um objeto a ser usado para seu prazer, mas como um tesouro a ser respeitado e protegido. É impensável, também, que uma mulher cristã, exercendo aquele amor que vem de Deus, se orgulhasse de "fazer um homem ficar nervoso" pelo modo como ela se veste ou se comporta. Ainda que ela possa "saber como cuidar-se," ela entende que o "o saber ensoberbece, mas o amor edifica" (1 Coríntios 8:1). O amor que vem de Deus nunca deve desafiar outro a pecar com as palavras, "Se me ama, você fará". Amor piedoso "não se regozija na iniquidade". Qualquer expressão suposta de amor que seja desagradável a Deus, é fraudulenta.

Amor para rivais

Muitos cristãos devotos em outras situações parecem aceitar o velho adágio que "na guerra como no amor tudo vale". "Inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas" parecem ser perfeitamente justificados. Não importa a ocasião, estas são obras da carne e "não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam" (Gálatas 5:19-21). Muitos que não recorreriam a golpes físicos para acertar uma rivalidade usarão de trapaça, engano, duplicidade, astúcia, perfídia, mexerico, calúnia e o que mais possa vir-lhes à cabeça para conseguir seu intento. "Esta não é a sabedoria que desce lá do alto; antes, é terrena, animal e demoníaca. Pois onde há inveja e sentimento faccioso, aí há confusão e toda espécie de cousas ruins" (Tiago 3:15-16). Nenhum homem ou mulher é digno de tal corrupção da alma. É melhor exercer aquela "sabedoria, porém, lá do alto [que] é, primeiramente pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento" (Tiago 3:17). Esta sabedoria conquistará qualquer parceiro que valha a pena conquistar.

Graças a Deus, muitos que sucumbem a tal tentação se arrependem e amadurecem depois que seu prêmio é conquistado. O jovem que conquistou sua noiva naquela noite à beira do rio, amadureceu e não recomendará seu ato a outros.

Não, verdadeiramente, a lei do amor piedoso não fica suspensa durante o namoro!

por Sewell Hall

Coritiba poderá jogar mais de 80 partidas em 2012

De acordo com o Centro de Excelência do Esporte do Coritiba (CEECOR), a equipe paranaense poderá atingir o recorde de jogos na temporada. Atual campeão estadual e finalista da Copa do Brasil, a agremiação alviverde precisa chegar a decisão da Sul-Americana para somar 84 partidas no ano.

No mínimo, o Coritiba atingirá a marca de 76 jogos na temporada. Em 1972 e 2003, o clube paranaense atuou em 74 partidas. "O período de pré-temporada é fundamental para isso ocorrer. E a diferença de hoje em dia é que não se usa a pré-temporada apenas para trabalhar a parte física, mas após alguns dias também é trabalhado a parte técnica e tática", avaliou Glaydson Ananias, coordenador do CEECOR.

Mesmo com o planejamento, o Coritiba sofreu com o desfalque de jogadores que se lesionaram no início da temporada. "Aconteceu nesse primeiro semestre que nós modificamos um pouco o elenco e jogadores machucaram. Uma série de coisas que você não repetia o time. E agora está o elenco todo à disposição, além de mais opção você tem a possibilidade de repetir time", afirmou o comandante Marcelo Oliveira.
Por
Redação Bonde com Assessoria

domingo, 17 de junho de 2012

Pepê e Neném falam sobre namoradas

Após terem revelado a homessexualidade - durante uma entrevista a jornalista Marília Gabriela -, as irmãs contam que se sentem aliviadas e que tomaram a decisão de tornar o assunto público no momento ideal. "Foi muito difícil, mas pensamos que esta era a hora certa. Nossa família sempre soube, desde quando éramos crianças, e nos apoiou. Sempre conheciam nossas namoradas, pois sempre souberam com quem andávamos e levávamos em casa", explica Pepê.

Ambas ressaltam, o preconceito ainda existe, mas elas contornam tudo com facilidade. "Existe muito preconceito ainda, mas se não existisse o lado ruim, o bom também não existiria".

Como estão atualmente comprometidas, tal revelação acabou sendo positiva e o Dia dos Namorados teve um gostinho especial.

Questionadas se aconselham as pessoas que vivem a mesma situação a se assumirem, a dupla concordou sobre o assunto. "Aconselhamos sim, com certeza. Essa história de 'sair do armário', cada um tem a sua história, mas o que importa é ser feliz e respeitar o espaço de cada um".

A vida profissional voltou aos trilhos e, mesmo após um golpe, as gêmeas apresentam o novo trabalho, "Só você não vê", além de uma parceria inédita com Zeca Pagodinho em uma outra canção.

Segurança no Lar

Qualquer pessoa que mora numa grande capital entende a importância de segurança no lar. Sabendo que existem alguns maus elementos no mundo, procuramos minimizar o perigo de assaltos e invasões das nossas casas. Muitas casas são cercadas por muros altos. Outras têm grades nas janelas. Algumas têm sistemas sofisticados de alarmes ou guardas para as defender. E qual rua não têm, pelo menos, alguns dez cachorros que latem em coro quando alguém passa na rua? É normal querer segurança em casa.

O que é que procuramos proteger dentro de casa? Alguns bens materiais, talvez. Mas, de maior importância, protegemos a vida física e o bem-estar emocional das pessoas queridas que chamamos família.

Enquanto protegemos nossas famílias de alguns riscos físicos, freqüentemente negligenciamos uma outra questão de segurança no lar. Nossas famílias são sujeitas a muitas ameaças espirituais. Como podemos defendê-las? O que podemos fazer para criar e manter lares seguros e capazes de resistir os males que destroem muitas famílias e estragam as vidas de muitas vítimas inocentes? Neste artigo, consideraremos alguns princípios bíblicos que asseguram lares mais sólidos e tranqüilos.

1 + 1 = 1

Quando Deus criou o ser humano, ele fez duas pessoas: um homem e uma mulher. Desde o princípio, Deus ordenou que o casamento fosse um relacionamento especial e íntimo de dois: "Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne" (Gênesis 2:24). Milhares de anos depois, Jesus repetiu o mesmo princípio como a vontade de Deus para todos (Marcos 10:6-9; Mateus 19:4-6). Paulo divulgou a mesma regra quando ensinou que cada homem pode ter "sua própria esposa" e cada mulher "seu próprio marido" (1 Coríntios 7:2).

Muitos dos problemas de lares inseguros, hoje em dia, resultam da desobediência deste princípio fundamental. Vamos ver alguns exemplos desses abusos e suas conseqüências:

Deixa o homem pai e mãe. O ato de casar-se cria uma nova família, independente das famílias dos pais. O ponto deste aspecto do mandamento não é distância física, pois encontramos exemplos de pessoas fiéis que moraram perto dos pais (Gênesis 24:67). É possível morar perto dos pais e ainda desenvolver uma família independente, mas não é fácil. Há duas tendências erradas que freqüentemente atrapalham famílias: Pais que interferem nos assuntos dos filhos casados, e Filhos casados que não assumem a responsabilidade na própria família. Enquanto esses problemas podem acontecer em qualquer família, são mais comuns quando os filhos ficam pertinho dos pais depois de casar. Às vezes, a noiva demora para aprender como cozinhar e manter a casa porque não estabelece um lar independente. Muitos novos maridos não aprendem a responsabilidade de sustentar a família e administrar o dinheiro, porque os pais continuam ajudando financeiramente. Alguns novos pais não sabem criar filhos, porque as crianças estão sempre na casa dos avós. Muitos casais nunca aprendem como resolver problemas entre si, porque sempre procuram refúgio na casa dos pais, ao invés de conversar como dois adultos para achar soluções para suas diferenças. Quando recém-casados respeitam a vontade de Deus para deixar pai e mãe e formar uma nova e independente família, aprendem depender um do outro, resolvendo problemas e criando laços fortes.

Se une à sua mulher. Nestas palavras encontramos dois aspectos importantíssimos de um bom casamento:
Se une à sua mulher. O ato de unir-se sugere o compromisso do casamento. Os costumes e as leis mudam de uma época para outra e de um país para outro, mas a idéia de assumir um compromisso de casamento com uma pessoa é essencial. No Brasil, atualmente, essa união exige um casamento lícito, devidamente registrado no cartório. Pessoas que vivem amigadas estão evitando o compromisso do casamento, deixando aberta uma porta de saída. O relacionamento de tais pessoas não se trata de casamento, mas sim de fornicação, um pecado contra o par e contra Deus (Hebreus 13:4; 1 Coríntios 7:9). Relações sexuais antes ou fora do casamento do casamento são pecaminosas. Se une à sua mulher. Em três palavras, Deus já excluiu muitos dos motivos de lares instáveis. Deus, na Bíblia, autoriza cada homem a casar-se com uma mulher. A prática comum de divorciar e casar com outra não é da vontade de Deus. Deus não criou Adão e Eva e Ana e Sara. Ele criou um homem e uma mulher. O casamento hoje é um relacionamento fechado e exclusivo entre duas pessoas. Eu não tenho direito nem de pensar em me separar da minha esposa para achar outra. Devemos observar outra coisa importante nessas palavras. Deus criou um homem e uma mulher. Deus não autorizou que o homem tivesse relações sexuais com animais, nem com outros homens. Ele já tinha criado diversos animais, mas nenhum deles foi feito para ser companheiro íntimo do homem (Gênesis 2:20). Também, é óbvio que Deus não criou Adão e João. Não importa quantas teorias que os homens inventam, ou quantas leis que os políticos fazem, as relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo sempre serão condenadas pela palavra de Deus (Romanos 1:24-27; 1 Coríntios 6:9-11). Os homossexuais precisam parar de cometer esse pecado e voltar para Deus.

Tornando-se os dois uma só carne. No meio da libertinagem do nosso mundo, a idéia de fidelidade matrimonial parece antiquada. Filmes, novelas, revistas e jornais sugerem que a paixão é incontrolável e a traição inevitável. O mesmo antigo mentiroso que enganou Eva no jardim do Éden continua enganando milhões com essas mentiras. O privilégio de ter relações sexuais é uma das melhores coisas que Deus deu para o prazer do homem e da mulher, mas pessoas pecaminosas procuram estragar esse dom de Deus. A intenção de Deus é que, logo depois de assumir o compromisso de casamento, o homem e sua mulher começarão uma vida de relações íntimas que trarão prazer para os dois. O bom marido vai se preocupar com a satisfação sexual de sua esposa, e ela, por sua vez, vai responder aos desejos naturais dele. Pessoas que respeitam a vontade de Deus não admitem a possibilidade de se envolver sexualmente com outras pessoas (1 Coríntios 7:3-5; Provérbios 5:1-23; Mateus 5:27-28; Hebreus 13:4; 1 Coríntios 6:9-11; Romanos 7:1-3). As pessoas que encontram mais prazer sexual na vida são as pessoas que se dedicam ao desenvolvimento do relacionamento íntimo com seu legítimo parceiro. Essas pessoas não sofrem da culpa que vem com lembranças de pecados cometidos no passado, nem da insegurança que a infidelidade traz para a vida de muitos. No casamento lícito, o sexo se torna uma parte especial do amor verdadeiro e completo entre duas pessoas.

O cristão que respeita a Deus vai contrariar as tendências pecaminosas de uma sociedade que defende a libertinagem. Um artigo recente na revista Época acertou quando descreveu uma grande parte do problema de jovens terem relações sexuais: "Quem é adolescente, hoje, tem nos pais o exemplo de uma geração que derrubou barreiras para tornar o sexo antes do casamento algo moral e socialmente aceitável" (12/04/99, página 50). Temos que mudar este quadro. A fornicação pode ser socialmente aceitável, mas nunca será moralmente aceitável. Mesmo se não conseguirmos mudar o pensamento de todos, podemos e devemos começar nos nossos próprios lares e igrejas. Pais, assumam compromissos com seus filhos para ajudá-los a manter sua pureza, assim se preparando para felicidade verdadeira no casamento e no céu.

Famílias Seguras

Abandono e divórcio são fontes de muito sofrimento. A vida de muitas crianças e jovens se torna um pesadelo, devido às promessas quebradas dos pais. Muitos adultos sofrem feridas incuráveis de rejeição por alguém que, alguns anos antes, prometeu amor e fidelidade até a morte. Deus autorizou o casamento, mas a destruição de lares é obra do diabo. Muitas coisas mudam depois de casar, mas o compromisso é irrrevogável. Geralmente, o homem de 50 anos não é tão bonito, fisicamente, como era quando tinha 20 anos. A mulher de 80 anos pode ter alguns problemas de saúde que não tinha aos 30 anos. Problemas mais difíceis, incluindo doenças mentais, podem se desenvolver depois do casamento, mas o compromisso não muda. Uma doença ou acidente pode deixar a pessoa incapaz de cumprir seu papel normal, mas o compromisso continua o mesmo. A sua esposa ou o seu marido merece a segurança de saber que vocês vão ficar juntos até a morte.

Seus filhos precisam da mesma segurança. Lares tumultuados e quebrados por divórcio deixam muitas vítimas. Pesquisa publicada na revista Veja prediz uma grande mudança na família brasileira: "Em apenas duas décadas, o número de famílias nucleares, compostas por pai, mãe e filhos de um primeiro casamento, será menor do que o de novas uniões resultantes de separações e divórcios." O mesmo artigo observa o fato óbvio: "Mas é ilusão achar que exista separação sem dor e sofrimento. O fim de um casamento é uma das situações mais estressantes que um ser humano pode enfrentar....Para as crianças, significa lidar com emoções desconhecidas, na maioria das vezes traumáticas...."

Cumprindo nossos papéis com amor

Existem muitas outras coisas que contribuem à segurança no lar. Homens responsáveis devem trabalhar e sustentar a família (1 Tessalonicenses 4:11; 2 Tessalonicenses 3:10; 1 Timóteo 5:8). Mulheres piedosas serão boas donas de casa, contentes com as necessidades da vida e livres da avareza (Tito 2:3-5; 1 Timóteo 6:7-10). Pais que temem ao Senhor vão instruir seus filhos por palavra e exemplo, os corrigindo em amor (Efésios 6:4). Violência, bebidas, drogas, imoralidade e diversas outras más influências serão eliminadas das nossas famílias, deixando um ambiente saudável para o desenvolvimento de pessoas aptas para o reino de Deus. Vivendo bem no lar exige sacrifício e determinação. Mas, lembre-se de dois fatos importantes: O amor de Deus exigiu um sacrifício maior (João 3:16; Efésios 5:25), e Estamos tratando de seres humanos, feitos à imagem de Deus, que têm espíritos eternos. Você terá uma grande influência na eternidade de seu companheiro e de seus filhos. Vale a pena ser fiel!

-por Dennis Allan

Mulheres baixinhas têm mais orgasmos

Os dados vêm de dois estudos superantigos, feitos em 1924 e 1940, mas duas pesquisadoras da Universidade de Emory (EUA) se debruçaram sobre eles em 2010 e reconfirmaram as conclusões: quanto menor é a distância entre o clitóris e o canal vaginal da mulher, maior é a probabilidade de ela ter orgasmos durante o sexo.
E sim, essa distância tende a ser menor em mulheres menores. Apesar de isso não ser uma regra, a maioria das mulheres altas está em clara desvantagem.
E qual é o espaçamento que mais favorece o prazer? De acordo com as pesquisas, que analisaram a relação entre altura e frequência de orgasmos em cerca de 90 voluntárias de todas as idades, a mulher é mais propensa a ter orgasmos se a distância entre o clitóris e o canal vaginal for menor do que a largura do próprio dedão.
(A foto que ilustra o post é de uma cena famosa do filme Harry e Sally – Feitos um para o outro, de 1989, em que a atriz Meg Ryan simula um orgasmo no meio de uma lanchonete.
Por
Thiago Perin 30 de março de 2012

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best WordPress Themes