Google+ Followers

Translate

follow in instagram

Instagram

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

nehi oliver: FELIZ 2011

FELIZ 2011



feliz 2011
                                                                                     





Um feliz 2011,
com muito amor, paz, alegrias e conquistas. 
Estaremos juntos amigos,
contem sempre com meu apoio e minhas orações.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

FAXINAL

História

A região de Faxinal, que hoje constitui importante centro urbano na área cafeeira do setentrião, até há bem pouco tempo, estava coberta pelas florestas virgens e suas terras, roxas e férteis, eram incultas e despovoadas.
Os primeiros desbravadores a fixaram residência na localidade em 1920, foram os senhores Cecílio Caetano dos Santos, João Wacheski, Evaldo Vekerkin e Francisco Leocádio dos Santos. Acompanhados das respectivas famílias, esses corajosos desbravadores construíram casas no outeiro onde hoje se localiza a sede do Município de Faxinal.
Foram coroados de pleno êxito os empreendimentos relativos à fundação do povoado, graças, principalmente, à uberdade do solo que atraiu imediatamente grande número de novos colonizadores.
O Distrito Policial de Faxinal de São Sebastião foi criado pelo Decreto Estadual nº 85, de 27 de janeiro de 1926. O Distrito Judiciário foi criado em virtude do Decreto Estadual nº 1435, de 25 de junho de 1931, pertencente ao Município de Tibagi. Pelo Decreto-Lei Estadual nº 7573, de 20 de outubro de 1938, passou a denominar-se São Sebastião e foi transferido do Município de Tibagi para o de Londrina. De acordo com o Decreto-Lei Estadual nº 199, de 30 de dezembro de 1943, foi mudado o nome de São Sebastião para Faxinal e desmembrado do Município de Londrina, para fazer parte do Município de Apucarana. Em 1951, foi criado o Município de Faxinal.
É desconhecido o real significado do nome dado ao município. Contudo, consta que fora denominado "Faxinal" por ser a região formada por campos de pastagens entremeados de arvoredos esguios.
Gentílico: faxinalense
Formação Administrativa
Distrito criado com a denominação de Faxinal de São Sebastião, pelo decreto estadual n.º 1435, de 25-06-1931, no município de Tibagi.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Faxinal de São Sebastião permanece no município de Tibagi.
Pelo decreto-lei estadual n.º 7573, de 20-10-1938, transfere o distrito de Faxinal de São Francisco do município de Tibagi para o de Londrina. Sob o mesmo decreto o distrito de Faxinal de São Sebastião passou a denominar-se São Sebastião.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o distrito figura no município de Londrina.
Pelo decreto-lei estadual n.º 199, de 30-12-1943, o distrito de São Sebastião passou a denominar-se Faxinal. Sob o mesmo decreto transfere o distrito de Faxinal do município de Londrina para o novo município de Apucarana.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito de Faxinal permanece no município de Apucarana.
Elevado à categoria de município com a denominação de Faxinal, pela lei estadual n.º 790, de 14-11-1951, desmembrado de Apucarana. Sede no antigo distrito de Faxinal. Constituído do distrito sede. Instalado em 14-12-1952.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.
Pela lei estadual n.º 7225, de 17-10-1979, é criado os distritos de Cruzmaltina, Nova Altamira, São Domingos e Vila Diniz e anexado ao município de Faxinal.
Em divisão territorial datada de 18-VIII-1988, o município é constituído de 5 distritos: Faxinal, Cruzmaltina, Nova Altamira, São Domingos e Vila Diniz.
Pela lei estadual n.º 11222, de 19-12-1995, desmembra do município de Faxinal o distrito de Cruzmaltina (ex-Crusmaltina). Elevado à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 15-VII-1999, o município é constituído de 2 distritos: Faxinal e Nova Altamira.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 14-V-2001.
Alterações Toponímicas Distritais:
Faxinal de São Sebastião para São Sebastião alterado, pelo decreto-lei estadual n.º 7573, de 20-10-1938.
São Sebastião para Faxinal alterado, pelo decreto-lei estadual n.º 199, de 30-12-1943.
Transferências Distristrais:
Pelo decreto-lei estadual n.º 7573, de 20-10-1938, transfere o distrito de Faxinal de São Francisco do município de Tibagi para o de Londrina.
Pelo decreto-lei estadual n.º 199, de 30-12-1943, transfere o distrito de Faxinal do município de Londrina para o de Apucarana.
 Geografia
Possui uma área é de 715,943 km² representando 0,3592 % do estado, 0,127 % da região e 0,0084 % de todo o território brasileiro. Localiza-se a uma latitude de 23°59'06" a 24º00'26 sul e a uma longitude 51°19'12" oeste. Sua população estimada em 2005 era de 14.914 habitantes.[carece de fontes?]
No solo predomina-se a Terra Roxa (ótima para a agricultura), sendo sua topografia: 70% plana, 20% ondulada e 10% acidentada e seu ponto mais alto é a Serra do Marumbi, com 820 metros. Também possui os latossolos de otima permeabilidade que segue altitudes de 900 a 1.000 metros de altitude na região de Faxinalzinho e bairro Papuã.[carece de fontes?]
O clima é subtropical úmido, com tendência de concentração das chuvas de verão acima do paralelo 24º Sul, sem estação seca definida. A média anual é de 19°C, sendo a média anual das máximas de 23°C e média anual das mínimas de 15°C.
O abastecimento de água é realizado pela Sanepar através de captação no Rio São Pedro.
 Demografia
Dados do Censo - 2000
População Total: 16.032
  • Urbana: 12.556
  • Rural: 3.052
  • Homens: 7.702
  • Mulheres: 7.906
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,732
  • IDH-M Renda: 0,672
  • IDH-M Longevidade: 0,718
  • IDH-M Educação: 0,806

      Rodovias

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

. . . . . . . . . Santhy o Blogg . . . . . . . . .: As Cidades Mais Coloridas do Mundo

. . . . . . . . . Santhy o Blogg . . . . . . . . .: As Cidades Mais Coloridas do Mundo: "Uma Lista contendo o nome das cidades mais coloridas do mundo está disponível em Buzzfeed.com, é claro que podemos concordar ou não. Ma..."

domingo, 19 de dezembro de 2010

PANETONE

Diz a lenda que um jovem decidiu se tornar padeiro para ser aceito pelo pai de sua amada. Criou, então, um pão de tamanho incomum e topo em forma de abóboda de igreja. Como se não bastasse, deu à sua criação o nome do "futuro pretenso" sogro: Panetone (que é pão do Toni em italiano). A história acaba por aí. Não sei se ele conseguiu se casar nem se viveram "felizes para sempre".

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

As origens do café



As origens do café
Corre uma lenda sobre as origens do café contando que, num dado momento do século III d. C., um   pastor de cabras, chamado Kaldi, certa noite ficou ansioso quando suas cabras não retornaram ao rebanho. Quando saiu para procurá-las, encontrou-as saltitando próximo a um arbusto cujos frutos estavam mastigando e que obviamente foi o que lhes deu a estranha energia que Kaldi nunca vira  antes. Dizem que ele mesmo experimentou os frutos e descobriu que eles o enchiam de energia, como aconteceu com o seu rebanho.  Kaldi evidentemente i levou essa maravilhosa "dádiva divina" ao mosteiro local, mas as reações não foram favoráveis e ele ateou fogo nos frutos, dizendo serem "obra do demônio". O aroma exalado pelos frutos torrados nas chamas atraiu todos os monges para descobrir o que estava causando aquele maravilhoso perfume e os grãos de café foram rastelados das cinzas e recolhidos. O abade mudou de idéia, sugeriu que os grãos fossem esmagados na água para ver que tipo de infusão eles davam, e os monges logo descobriram que o preparado os mantinha acordados durante as rezas e períodos de meditação. Notícias dos maravilhosos poderes da bebida espalharam-se de um monastério a outro e, assim, aos poucos espalharam-se por todo mundo.
As evidências botânicas sugerem que a planta do café origina-se na Etiópia Central (onde ainda crescem vários milhares de pés acima do nível do mar). Ninguém parece saber exatamente quando o primeiro café foi tomado lá (ou em qualquer parte), mas os registros dizem que foi tomado em sua terra nativa em meados do século XV Também sabemos que foi cultivado no Iêmen (antes conhecido como Arábia), com a aprovação do governo, aproximadamente na mesma época, e pensa-se que talvez os persas levaram-no para a Etiópia no século VI d.C., período em que invadiram a região.
À medida que o café tornou-se cada vez mais popular, salas especiais nas casas dos mais abastados foram reservadas para se tomar café, e casas de café começaram a aparecer nas cidades. A primeira abriu em Meca, no final do século XV e início do XVI e, embora originalmente fossem lugares de reuniões religiosas, esses amplos saguões onde os clientes se sentavam em esteiras de palha ou colchões sobre o chão, rapidamente tornaram-se centros de música, dança, jogos de xadrez, gamão, conversas em locais em que se faziam negócios. A primeira abriu em Meca, no final do século XV e início do XVI e, embora originalmente fossem lugares de reuniões religiosas, esses amplos saguões onde os clientes se sentavam em esteiras de palha ou colchões sobre o chão, rapidamente tornaram-se centros de música, dança, jogos de xadrez, gamão, conversas em locais em que se faziam negócios. 
Sua popularidade espalhou-se por Cairo, Constantinopla e para todas as partes do Oriente Médio, mas os muçulmanos devotos desaprovavam todas as bebidas tóxicas, incluindo o café, e consideravam as casas de café como uma ameaça à observância religiosa. Às vezes, esses centros populares de diversão eram atacados e destruídos por fanáticos religiosos, e alguns governantes apoiavam a proibição do café e impunham punições aterrorizadoras: aqueles que desobedecessem poderiam ser açoitados, presos dentro de um saco de couro e atirados no Bósforo.
Enquanto isso, comerciantes europeus da Holanda, Alemanha e Itália certamente estavam exportando grãos e, também, tentando introduzir a lavoura em suas colônias. Os holandeses foram os primeiros a iniciar o cultivo comercial no Sri Lanka, em 1658, e então em Java, em 1699, e por volta de 1706 eles estavam exportando o primeiro café de Java e estendendo a produção para outras partes da Indonésia. Em 1714, os holandeses bem-sucedidos presentearam Luís XIV da França com um pé de café que cresceu numa estufa em Versailles e quando deu frutos, as sementes foram espalhadas e as mudas foram levadas para o cultivo na ilha de Réunion, na época chamada de Ilha de Bourbon. A variedade de arbustos de café que se desenvolveu daquela árvore em Paris tornou-se conhecida como o café Bourbon e foi a fonte original de grãos hoje conhecidos no Brasil como Santos e no México como Oaxaca.

Desenvolvimento do café
Como o café chegou ao Brasil
Em 1727 os portugueses compreenderam que a terra do Brasil tinha todas as possibilidades que convinham à cafeicultura. Mas infelizmente eles não possuíam nem plantas nem grãos. O governo do Pará, encontrou um pretexto para enviar Palheta, um jovem oficial a Guiana Francesa, com uma missão simples: pedir ao governador M. d’Orvilliers algumas mudas. M. d’Orvilliers seguindo ordens expressas do rei de França, não atende o pedido de Palheta. Quanto à Mme. d’Orvilliers, esposa do governador da Guiana Francesa, não resiste por muito tempo aos atrativos do jovem tenente. Quando Palheta já regressava ao Brasil,  Mme. d’Orvilliers envia-lhe um ramo de flores onde, dissimuladas pela folhagem, se encontravam escondidas as sementes a partir das quais haveria de crescer o poderoso império brasileiro do café – um episódio bem apropriado para a história deste grão tão sedutor.
Do Pará, a cultura passou para o Maranhão e, por volta de 1760, foi trazida para o Rio de Janeiro por João Alberto Castelo Branco, onde se espalhou pela Baixada Fluminense e posteriormente pelo Vale do Paraíba.

O surto e incremento da produção do café foram favorecidos por uma série de fatores existentes á época da Independência. As culturas do açúcar e do algodão estavam em crise, batidas no mercado internacional pela produção das Antilhas e dos EUA; por isso, os fazendeiros precisavam encontrar outro produto de fácil colocação no mercado internacional. Além disso, a decadência da mineração libertou mão-de-obra e recursos financeiros na região Centro-Sul (Minas Gerais e Rio de Janeiro, principalmente) que podiam ser aplicados em atividades mais lucrativas. Em nível internacional, a produção brasileira foi favorecida pelo colapso dos cafezais de Java (devido a uma praga) e do Haiti (devido aos levantes de escravos e á revolução que tornou o pais independente). Outros fatores decisivos foram a estabilização do comércio internacional depois das guerras napoleónicas (Tratado de Versalhes, 1815) e a expansão da demanda europeia e americana por uma bebida barata.

A importância econômica do café refletiu-se na sua expansão geográfica. No início, difundiu-se pelo Vale do Paraíba (Rio de Janeiro e São Paulo), Sul de Minas e Espírito Santo. Depois, atingiu Campinas, no "Oeste Velho" de São Paulo; dali, expandiu-se para o chamado "Oeste Novo" (Ribeirão Preto e Araraquara) e passou, mais tarde, para as regiões de terra roxa do Norte do Paraná e Mato Grosso. Hoje, as áreas de cultivo localizam-se nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Espírito Santo e Bahia. Após a grande geada de 1975, houve um deslocamento das principais zonas produtoras do Norte do Paraná para áreas de clima mais favorável, como o sul de Minas Gerais e o interior capixaba.
A exportação brasileira do café começou a crescer a partir de 1816. Na década de 1830-1840, o produto assumiu a liderança das exportações do pais, com mais de 40% do total; o Brasil tornou-se, em 1840, o maior produtor mundial de café. Na década 1870-1880, o café passou a representar até 56% do valor das exportações. Começou então o período áureo do chamado ciclo do café que durou até 1930; no final do séc. XIX, o café representava 65% do valor das exportações do pais, chegando a 70% na década de 1920.

Fazenda brasileira de café - século XIX
Contudo, o crack da Bolsa de Nova York (1929) forçou a queda brusca no preço internacional do café (que caiu,em 1930, para pouco mais que a metade de seu valor em 1928), que continuou em queda até menos de 40% em 1931, ficando nesses níveis baixos durante muitos anos: só em 1947 é que os preços voltaram aos níveis de 1928. Essa situação agravou a crise de superprodução do café, cujos primeiros sinais apareceram no início do séc. XX.
Para enfrentar essa crise, os governadores dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro reuniram-se (fevereiro de 1906) no chamado Convênio de Taubaté, que definiu uma política para a valorização do produto: os governos estaduais comprometeram-se a comprar toda a produção e usar os estoques como instrumentos para impedir quedas e oscilações no preço do produto, além de proibir novos plantios.O Convênio de Taubaté representou a primeira intervenção oficial em defesa do café. Nos anos seguintes, o governo federal também tomou iniciativas nesse sentido. Mais tarde, após a crise de superprodução mundial de 1957, os países produtores e os grandes consumidores criaram o Acordo Internacional do Café (1962), que estabeleceu quotas de exportação para os países-membros.
O chamado "ciclo do café" teve repercussões econômicas e sociais importantes no Brasil. A expansão da lavoura levou à ampliação das vias férreas, principalmente em São Paulo; os portos do Rio de Janeiro e de Santos foram modernizados para sua exportação; a necessidade de mão-de-obra trouxe imigrantes europeus, principalmente depois da Abolição dos escravos; o café foi o primeiro produto de exportação controlado principalmente por brasileiros, possibilitando o acúmulo de capitais no pais. Em consequência, criou-se um mercado interno importante, principalmente no Centro-Sul, que foi o suporte para um desenvolvimento sem precedentes das atividades industriais, comerciais e financeiras. O café, sobretudo, consolidou a hegemonia política e econômica do Centro-Sul, transformando-o na região brasileira onde o desenvolvimento capitalista foi pioneiro e mais acentuado.
Desde os anos 50, a importância do café para a economia brasileira tem decrescido sensivelmente. Uma das conseqüências da crise mundial de 1957 foi o início da produção de café solúvel.
A participação do café nas exportações do pais diminuiu; em meados dos anos 70, o valor da exportação de manufaturados ultrapassou o do café, que, desde o início dos anos 80, responde por cerca de 10% do valor total das exportações brasileiras. Apesar disso, o café é ainda um dos principais produtos isolados exportados pelo país. São Paulo, que foi o maior produtor nacional desde o último terço do século passado, perdeu a primazia para o Paraná no final dos anos 50, mas sua produção ainda era significativa: em 1966-1967, por exemplo, metade de todos os cafeeiros do pais estava plantada nesses dois Estados. Vinte anos depois, em 1986-1987, era Minas Gerais que tinha o maior número de cafeeiros (mais de um terço do total nacional), seguindo-se São Paulo, Espírito Santo, Paraná e Bahia (que tinham juntos 92% dos 3,5 bilhões de pés de café então existentes no país.)
Em 1996 o consumo mundial supera a barreira dos 100 milhões de sacas. Em 1997 o Brasil atinge  quase 3  bilhões de dólares na exportação de café, tendo a Alemanha superado os Estados Unidos como maior importador.
Em 1998 o comitê do Conselho da Bolsa de New York coloca na pauta o café despolpado brasileiro.
Fontes: 
Grande Enciclopédia Larousse Cultural
CAFÉ-La Dolce Vita - Asa Editores Ltda.

Aroma de Café- Luiz Norberto Pascoal
Le Café - Anne Vantal

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Origem do futebol

História do Futebol
Origens do futebol, Chegada do futebol no Brasil, Charles Miller, FIFA, Copa do Mundo.
copa do mundo de futebol - 1950
Final da Copa de 1950: Brasil perde na final para o Uruguai

O futebol é um dos esportes mais populares no mundo. Praticado em centenas de países, este esporte desperta tanto interesse em função de sua forma de disputa atraente.
Origem do futebol 
Embora não se tenha muita certeza sobre os primórdios do futebol, historiadores descobriram vestígios dos jogos de bola em várias culturas antigas. Estes jogos de bola ainda não eram o futebol, pois não havia a definição de regras como há hoje, porém demonstram o interesse do homem por este tipo de esporte desde os tempos antigos.
O futebol tornou-se tão popular graças a seu jeito simples de jogar. Basta uma bola, equipes de jogadores e as traves, para que, em qualquer espaço, crianças e adultos possam se divertir com o futebol. Na rua, na escola, no clube, no campinho do bairro ou até mesmo no quintal de casa, desde cedo jovens de vários cantos do mundo começam a praticar o futebol.
pai do futebol no Brasil O inglês Charles Miller : pai do futebol no Brasil

História do Futebol : origens

Origens do futebol na China Antiga
Na China Antiga, por volta de 3000 a.C, os militares chineses praticavam um jogo que na verdade era um treino militar. Após as guerras, formavam equipes para chutar a cabeça dos soldados inimigos. Com o tempo, as cabeças dos inimigos foram sendo substituídas por bolas de couro revestidas com cabelo. Formavam-se duas equipes com oito jogadores e o objetivo era passar a bola de pé em pé sem deixar cair no chão, levando-a para dentro de duas estacas fincadas no campo. Estas estacas eram ligadas por um fio de cera.
Origens do futebol no Japão Antigo
No Japão Antigo, foi criado um esporte muito parecido com o futebol atual, porém se chamava Kemari. Praticado por integrantes da corte do imperador japonês, o kemari acontecia num campo de aproximadamente 200 metros quadrados. A bola era feita de fibras de bambu e entre as regras, o contato físico era proibido entre os 16 jogadores (8 para cada equipe). Historiadores do futebol encontraram relatos que confirmam o acontecimento de jogos entre equipes chinesas e japonesas na antiguidade.
Origens do futebol na Grécia e Roma
Os gregos criaram um jogo por volta do século I a.C que se chamava Episkiros. Neste jogo, soldados gregos dividiam-se em duas equipes de nove jogadores cada e jogavam num terreno de formato retangular. Na cidade grega de Esparta, os jogadores, também militares, usavam uma bola feita de bexiga de boi cheia de areia ou terra. O campo onde se realizavam as partidas, em Esparta, eram bem grandes, pois as equipes eram formadas por quinze jogadores.Quando os romanos dominaram a Grécia, entraram em contato com a cultura grega e acabaram assimilando o Episkiros, porém o jogo tomou uma conotação muito mais violenta.
O futebol na Idade Média
Há relatos de um esporte muito parecido com o futebol, embora usava-se muito a violência. O Soule ou Harpastum era praticado na Idade Média por militares que dividiam-se em duas equipes : atacantes e defensores. Era permitido usar socos, pontapés, rasteiras e outros golpes violentos. Há relatos que mostram a morte de alguns jogadores durante a partida. Cada equipe era formada por 27 jogadores, onde grupos tinham funções diferentes no time: corredores, dianteiros, sacadores e guarda-redes.
Na Itália Medieval apareceu um jogo denominado gioco del calcio. Era praticado em praças e os 27 jogadores de cada equipe deveriam levar a bola até os dois postes que ficavam nos dois cantos extremos da praça. A violência era muito comum, pois os participantes levavam para campo seus problemas causados, principalmente por questões sociais típicas da época medieval.
O barulho, a desorganização e a violência eram tão grandes que o rei Eduardo II teve que decretar uma lei proibindo a prática do jogo, condenando a prisão os praticantes. Porém, o jogo não terminou, pois integrantes da nobreza criaram um nova versão dele com regras que não permitiam a violência. Nesta nova versão, cerca de doze juízes deveriam fazer cumprir as regras do jogo.
O futebol chega à Inglaterra
Pesquisadores concluíram que o gioco de calcio saiu da Itália e chegou a Inglaterra por volta do século XVII. Na Inglaterra, o jogo ganhou regras diferentes e foi organizado e sistematizado. O campo deveria medir 120 por 180 metros e nas duas pontas seriam instalados dois arcos retangulares chamados de gol. A bola era de couro e enchida com ar. Com regras claras e objetivas, o futebol começou a ser praticado por estudantes e filhos da nobreza inglesa. Aos poucos foi se popularizando. No ano de 1848, numa conferência em Cambridge, estabeleceu-se um único código de regras para o futebol. No ano de 1871 foi criada a figura do guarda-redes (goleiro) que seria o único que poderia colocar as mãos na bola e deveria ficar próximo ao gol para evitar a entrada da bola. Em 1875, foi estabelecida a regra do tempo de 90 minutos e em 1891 foi estabelecido o pênalti, para punir a falta dentro da área. Somente em 1907 foi estabelecida a regra do impedimento.
O profissionalismo no futebol foi iniciado somente em 1885 e no ano seguinte seria criada, na Inglaterra, a International Board, entidade cujo objetivo principal era estabelecer e mudar as regras do futebol quando necessário.
No ano de 1897, uma equipe de futebol inglesa chamada Corinthians fez uma excursão fora da Europa, contribuindo para difundir o futebol em diversas partes do mundo.
Em 1888, foi fundada a Football League com o objetivo de organizar torneios e campeonatos internacionais.
No ano de 1904, foi criada a FIFA ( Federação Internacional de Futebol Association ) que organiza até hoje o futebol em todo mundo. É a FIFA que organiza os grandes campeonatos de seleções ( Copa do Mundo ) de quatro em quatro anos. Em 2006, aconteceu a Copa do Mundo da Alemanha, que teve a Itália como campeã e a França como vice.A FIFA também organiza campeonatos de clubes como, por exemplo, a Copa Libertadores da América, Copa da UEFA, Liga dos Campeões da Europa, Copa Sul-Americana, entre outros.
bola de futebol Bola de futebol : final do século XIX
História do Futebol no Brasil
Nascido no bairro paulistano do Brás, Charles Miller viajou para Inglaterra aos nove anos de idade para estudar. Lá tomou contato com o futebol e, ao retornar ao Brasil em 1894, trouxe na bagagem a primeira bola de futebol e um conjunto de regras. Podemos considerar Charles Miller como sendo o precursor do futebol no Brasil.
O primeiro jogo de futebol no Brasil foi realizados em 15 de abril de 1895 entre funcionários de empresas inglesas que atuavam em São Paulo. Os funcionários também eram de origem inglesa. Este jogo foi entre FUNCIONÁRIOS DA COMPANHIA DE GÁS X CIA. FERROVIARIA SÃO PAULO RAILWAY.
O primeiro time a se formar no Brasil foi o SÃO PAULO ATHLETIC, fundado em 13 de maio de 1888.
No início, o futebol era praticado apenas por pessoas da elite, sendo vedada a participação de negros em times de futebol.
Em 1950, a Copa do Mundo foi realizada no Brasil, sendo que a seleção brasileira perdeu o título, em pleno Maracanã, para a seleção Uruguaia (Uruguai 2 x Brasil 1). Em 2014, a Copa do Mundo de Futebol será realizada novamente no Brasil.
Você sabia?
- Comemora-se em 19 de julho o Dia do Futebol.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

A CASA DO CORITIBA by http://verd.in/3ei



Estádio Major Antônio Couto Pereira





 O Estádio Major Antônio Couto Pereira, mais conhecido simplesmente por Couto Pereira, é o maior estádio de futebol do estado do Paraná, e pertence ao Coritiba Foot Ball Club. Está localizado no bairro Alto da Glória em Curitiba. Seus torcedores o chamam carinhosamente de Couto, Alto da Glória ou Gigante de Concreto Armado.
Fundado em 15 de novembro de 1932, no jogo inaugural o Coritiba venceu o América-RJ por 4 a 2. Atualmente o estádio conta com capacidade para 37.182 pessoas.
 O estádio conta com capacidade para 37.160 torcedores. A distribuição da capacidade inclui arquibancadas do setor de visitantes - 6.162 (três anéis), o setor curva de entrada - 12.882 (três anéis), sociais inferior - 334, fim do setor mauá (próximo ao setor visitantes) - 20 (primeiro anel), cadeira social superior - 5.040, cadeira social inferior - 1.027 e cadeiras Mauá - 11.345. Entre os camarotes, um camarote visitante com 21 lugares, três camarotes superiores totalizando 39 lugares, 25 camarotes inferiores (vinte com dez lugares e cinco com 22 lugares).
No estádio estão localizados 25 sanitários, sendo treze femininos e doze masculinos. Existem também dezesseis lanchonetes e quatro vestiários, além de estacionamento com duas mil vagas. Para a segurança existem 32 câmeras e uma central de monitoramento que acompanha a movimentação dos torcedores.
O campo possui medidas de 109 x 72 m, com grama do tipo Bermuda 419.


O Estádio

O Estádio Major Antônio Couto Pereira é o quinto maior estádio particular do Brasil (atrás apenas do Morumbi, do Estádio Arruda, do Beira-Rio e do Olímpico. O Couto Pereira é o maior estádio do Paraná mas ainda não está totalmente adequado ao Estatuto do Torcedor.
Também faz parte desta etapa das obras até 2005, a construção do novo museu do Coritiba, de um restaurante e de um bar temático nas dependências internas do Estádio Couto Pereira, bem como dos novos camarotes do Couto Pereira.
Para os dirigentes dos times adversários, o Estádio Couto Pereira tem um espaço reservado junto aos torcedores do próprio time adversário, o que amplia os critérios de conforto e segurança dos visitantes. Os dirigentes do time adversário ficam acomodados num camarote exclusivo, vidros blindados e sistema de ar condicionado, frigobar e confortáveis poltronas.
Também os sanitários do Estádio Couto Pereira passaram por grandes reformas. Os novos sanitários estão totalmente adequados aos mais rigorosos critérios da legislação de vigilância sanitária.
Todos os lugares do Estádio do Coritiba são numerados. Um sistema de ingressos confeccionados em meio magnético e de catracas eletrônicas possibilita a setorização do estádio, que é feita pela identificação de cores.
Na atual fase de reformas do Couto, cerca de quinze mil novas cadeiras foram afixadas em diversos setores do estádio, ampliando o conforto e a segurança dos torcedores.
Anexa ao estádio Couto Pereira está a loja Coxa Mania, uma loja que vende produtos licenciados e materiais esportivos do Coritiba e da Lotto, que é a empresa patrocinadora dos materiais esportivos do Clube.
O Estádio Couto Pereira está equipado com elevadores para acesso da imprensa e autoridades às cadeiras superiores.
O Estádio Couto Pereira também está adequado à determinação da FIFA em numerar os locais para venda de ingressos. A nova capacidade do estádio foi reduzida para quarenta mil lugares sentados, dentro das exigências técnicas que permitam maior conforto e segurança para os torcedores.
O maior público da história do estádio é de 70 mil pessoas na visita do Papa João Paulo II a Curitiba. Em um jogo de futebol, o maior público é de 67.391 pessoas, registrado na segunda semi-final do campeonato brasileiro de 1983, entre Atlético Paranaense e Flamengo.




História do estádio

Os primeiros jogos do Coritiba aconteceram no Jóquei Clube Paranaense, nos dias em que não havia corrida. Em 1916, com o apoio dos associados, o clube se transferiu para o Parque Graciosa, no bairro do Juvevê, e ficou lá até ter o contrato rescindido. Com essa rescisão, o Coritiba pagou uma boa indenização e passou a procurar um terreno para a construção de um novo estádio.
O clube era comandado na época pelo Major Antônio Couto Pereira, que dedicou sua vida inteira ao Coritiba. Foi ele quem achou o terreno do atual estádio, pago com um empréstimo de 120 contos de réis feito na Caixa, com juros de 12% ao ano.
O novo estádio, denominado de Belfort Duarte, ficou pronto em 1932, e foi inaugurado no mesmo ano, com a partida Coritiba 4-2 América, do Rio de Janeiro. O Coxa mandou seus jogos naquele estádio até 1956, quando o então presidente Arion Cornelsen anunciou que o estádio seria reformado.
Arion alegou que a torcida do Coritiba havia crescido muito na última década e que aquele era o momento certo para a ampliação do Belfort Duarte, em vista do dinheiro que o clube havia arrecadado com a Loteria Esportiva.
Emílio Cornelsen, pai de Arion, acompanhou de perto todas as obras no estádio, sem deixar que nenhum problema ocorresse. As obras, porém, foram concluídas apenas no mandato de Evangelino da Costa Neves, que foi o encarregado de entregar esse patrimônio à torcida.
Em 1977, com as obras já concluídas, o nome do estádio foi alterado de Belfort Duarte para Major Antônio Couto Pereira, em homenagem ao homem que deu o pontapé inicial para que esse monumento pudesse existir.


Reforma em 2005

Em 1 de maio de 2005 ocorreu a reabertura do Estádio Couto Pereira, que ficara fechado mais de cinco meses para a realização de inúmeras obras.
O campo de jogo ganhou um novo gramado do tipo Bermuda 419, tida pelos especialistas como a melhor grama para a prática do futebol. Além do novo gramado, o Couto ganhou um novo sistema de drenagem, mais eficaz.
As medidas do gramado foram ampliadas para 109 x 72 metros, as grades que circundavam o fosso foram retiradas, tornando perfeita a visibilidade da partida de qualquer lugar do Estádio Couto Pereira.
As novas traves têm ferros de sustentação das redes um novo formato, mais adequado à segurança dos jogadores.
Os novos bancos de reservas atendem o padrão internacional de exigências estabelecidas pela FIFA, com as condições de conforto aos atletas (são bancos do tipo Recaro, padrão similar aos utilizados nos estádios do Barcelona e Ajax).
Em 2005 foram entregues 25 novos camarotes, todos de alto padrão, com TV, ar-condicionado com controle remoto, frigobar, piso em granito, banheiro individual, isolamento com vidro blindado, poltronas, atendimento de garçom via interfone, entre outros benefícios. No total, 370 pessoas podem assistir aos jogos no Couto Pereira utilizando-se dos camarotes.
Uma nova sala de imprensa foi construída, para as entrevistas antes e pós-jogo, com sistema de som, rede de internet que facilitará o trabalho da imprensa e dos jogadores do Coritiba, que atenderão os repórteres com mais conforto.


Passarela de troféus

O Estádio Couto Pereira tem dois espaços que homenageiam o ex-presidente Amâncio Moro e o ex-jogador do América, Belfort Duarte, que durante mais de quarenta anos cedeu seu nome para o Estádio coritibano.
Estes dois espaços possuem modernas instalações com praças de alimentação. O espaço Belfort Duarte conta com uma galeria onde estarão expostas fotos e 75 dos principais troféus da história do clube. Entre eles, o de Campeão Brasileiro em 1985 e o de Campeão do Torneio do Povo, em 1973.
Painéis fotográficos gigantes com imagens de várias fases do Couto Pereira, desde sua construção, passando por várias obras, ilustram o ambiente que tem seu piso todo em granito, na cor verde labrador.
O espaço será aberto aos turistas, pois o Couto Pereira faz parte do circuito turístico de Curitiba. Os visitantes serão atendidos por funcionários que contarão a história do clube e poderão fazer uma turnê para conhecer as dependências do maior e melhor estádio do Paraná.
O projeto da galeria foi executado pelo arquiteto coxa-branca Ricardo Carvalho. Cada vitrine comporta entre doze e vinte troféus, que foram selecionados entre os principais que o clube conquistou ao longo de mais de 100 anos. Um grupo de torcedores e pesquisadores, Os Helênicos, selecionou e realizou o levantamento histórico que conta mais sobre a história vitoriosa do Coritiba. O grupo é composto pelo jornalista Vinícius Coelho, pelo pesquisador Levi Mulfort e pelos torcedores Pierre Alexandre Boulos, Guilherme Straube, Alan Roger da Silva e Maurício Pasternack.


Painéis

Vinte e dois painéis gigantes estão localizados nos anéis externos do Estádio Couto Pereira, com imagens que relembram a história do Clube Alviverde.
Em 2004 o Couto havia ganho letreiros de identificação do Estádio, feitos em aço e com iluminação especial, que permitem grande destaque do Estádio à noite.
No estacionamento, na entrada principal para o Estádio coritibano, está localizado o mastro que durante décadas esteve no gramado. O mastro foi doado em 15 de novembro de 1932 pelo conselheiro Eduardo Schinzel e será responsável por dar as boas vindas aos torcedores do Coxa. CT da Graciosa Em 1988 o presidente Bayard Osna determinou a construção de um centro de treinamento para o Coritiba. Foi adquirido um terreno na antiga estrada da Graciosa, próximo ao trevo do Atuba, cerca de nove quilômetros da sede principal, no Alto da Glória. Mas foi somente em 1995 que o segundo passo foi dado. Joel Malucelli, Sérgio Prosdócimo e Édson Mauad assumiram o Coritiba e deram início às obras.
O engenheiro José Arruda, na época Vice-Presidente do clube, foi à pessoa que ficou responsável e se lançou nesse desafio com confiança e determinação, contando com o apoio de uma competente comissão de obras. A maior parte do dinheiro que viabilizou a construção veio de contribuições mensais do Conselho Deliberativo, presidido na época por Manoel Antonio de Oliveira


Dez Maiores Públicos

  • Coritiba 2 x 1 São Paulo, 65.585, 18/10/1998, Campeonato Brasileiro.
  • Atlético-PR 2 x 0 Flamengo-RJ, 67.391, 65.585, 18/10/1998, Campeonato Brasileiro.
  • Coritiba 0 x 2 Flamengo-RJ, 58.311, 21/05/1980, Campeonato Brasileiro.
  • Atlético-PR 1 x 3 São Paulo-SP, 57.324, 27/02/1982, Campeonato Brasileiro.
  • Coritiba 0 x 0 Atlético-PR, 55.164, 17/12/1978, Campeonato Paranaense.
  • Coritiba 2 x 0 Colorado, 53.571, 16/09/1979, Campeonato Paranaense.
  • Coritiba 3 x 0 Atlético-PR, 52.028, 01/05/1990, Campeonato Paranaense.
  • Coritiba 1 x 0 Corinthians-SP, 51.662, 11/05/1980, Campeonato Brasileiro.
  • Atlético-PR 1 x 1 Corinthians-SP, 49.740, 08/04/1984, Campeonato Brasileiro.
  • Coritiba 2 x 0 Paranavaí, 49.357, 23/03/2003, Campeonato Paranaense.
  • Patrimônio

     CT da Graciosa

    O CT da Graciosa foi inaugurado no dia 20 de Dezembro de 1997. Após muita dedicação e trabalho de todos que ajudaram, o sonho se tornou realidade. Em 2002, Giovani Gionédis assumiu o clube e começou um planejamento estrutural arrojado, que se iniciou com a ampliação e modernização do patrimônio Alviverde.
    Hoje, o Centro de Treinamento Bayard Osna se tornou uma das referências de modernidade e de espaço para o trabalho dos profissionais do futebol. O trabalho sério fez do Coritiba um dos clubes do país com uma das melhores estruturas. Nela, está galgado o trabalho de aperfeiçoamento da base e a cada ano craques despontam nos seus gramados, sempre com acompanhamento dos melhores profissionais, até chegarem à equipe profissional e tornarem-se ídolos coxa-brancas.
    O CT conta com cinco campos oficiais de futebol (70x110m), com diferenciados gramados. Além disso, três vestiários, piscina térmica, estacionamento, comitê de imprensa. Para a área médica existe uma moderna clínica de fisiologia, uma completa academia, além de clínicas de fisioterapia, psicologia e nutrição.

     Centenário

    O Couto ja conta com 100 anos de glórias, que foi comemorado com uma vigília no estádio major couto pereira, com torcedores que acompanharam uma queima de fogos maravilhosa, no dia 11/10/2009, além da vigília o calendário do centenário contou com uma porção de eventos atingindo torcedores de todas as idades. Houve um grandioso show, com a banda 100% Paraíba.

     Corrida do Centenário

    O dia 12 de outubro de 2009 foi movimentado no Coritiba. Comemorando o seu centenário, o clube promoveu vários eventos no Couto Pereira. Logo no início da manhã, às 7h30, foi dada a largada para a maratona do Centenário. Mesmo com a chuva não dando trégua, cerca de duas mil pessoas compareceram para a corrida, que foi conquistada por Ricardo Júlio do Santos, que completou o trajeto de 10km em 32 minutos.

     Espaço 100 anos

    Logo após o término da corrida, o clube inaugurou, em parceria com o grupo de pesquisa 'Helênicos', o Espaço 100 anos, uma espécie de museu, que conta a trajetória do Coxa, por meio de camisas, faixas de campeões, fotos e flâmulas. Cerca de seis mil torcedores foram conhecer o espaço oa longo do dia.
    O espaço 100 Anos, conta com diversas exposições relacionadas a fatos históricos do clube, seus atletas e sua torcida. Localizado na rua Mauá, que passa por uma revitalização geral, o espaço está em construção e tem grama sintética aplicada ao seu piso. O projeto conta também com painéis e peças raras referentes a uniforme, ídolos e até mesmo à conquista de títulos.

     Sala das Sensações

    Atração do local é a sala das sensações, um local totalmente escuro, apenas com um telão no qual passam imagens gravadas no meio da torcida no Couto Pereira, além do Green Hell, visto por cima do estádio. Com um som muito alto, a pessoa tem a impressão de estar no meio da bateria da Império Alviverde.
    Estiveram presentes, como convidados especiais os ex-atletas Kruger, Pachequinho, Fedato, Toby e ex-presidentes, entre eles Aryon Cornelsen, Jacob Mehl e Giovani Gionédis. Além deles, o atacante Marcelinho Paraíba também compareceu, e viu sua camisa e seu nome eternizados no museu, camiosa essa usada no jogo que rebaixou o Coritiba para a série B em pleno ano do centenário.



vote no top30 http://www.top30.com.br/cgi/votar.cgi?ID=125700

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A LISTA DE COISAS QUE NÃO SABEMOS OU NÃO LEMBRAMOS

Os Três Reis Magos:
O árabe Baltazar:        trazia incenso, significando a divindade do Menino Jesus.
O indiano Belchior:      trazia ouro, significando a sua realeza.
O etíope Gaspar:         trazia mirra, significando a sua humanidade.

As Sete Maravilhas do Mundo Antigo:

1 - As Pirâmides do Egipto
2 - As Muralhas e os Jardins Suspensos da Babilónia
3 - O Mausoléu de Helicarnasso (ou o Túmulo de Máusolo em Éfeso)
4 - A Estátua de Zeus, de Fídias
5 - O Templo de Artemisa (ou Diana)
6 - O Colosso de Rodes
7 - O Farol de Alexandria.
As 7 Notas Musicais
A origem é uma homenagem a São João Baptista, com seu hino :
Ut queant laxis (dó)      Para que possam
Re sonare fibris             ressoar as
Mira gestorum               maravilhas de teus feitos
Fa mulli tuorum            com largos cantos
Sol ve polluit                 apaga os erros
La bii reatum                 dos lábios manchados
Sancti Ioannis                Ó São João 
Os Sete Pecados Capitais
Eles só foram enumerados no século VI, pelo papa São Gregório Magno (540-604), tomando como referência as cartas de São Paulo
Gula - Avareza - Soberba - Luxúria - Preguiça - Ira - Inveja.

As Sete Virtudes
Para combater os pecados capitais
Temperança - Generosidade - Humildade - Castidade - Disciplina - Paciência - Caridade
Os Sete dias da Semana e os 'Sete Planetas'
Os dias, nos demais idiomas -  com excessão da língua portuguesa - mantém os nomes dos sete corpos celestes conhecidos desde os babilónios: 
Domingo                        dia do Sol
Segunda                         dia da Lua.
Terça                              dia de Marte
Quarta                            dia de Mercúrio
Quinta                            dia de Júpiter
Sexta                              dia de Vénus
Sábado                           dia de Saturno
As Sete Cores do Arco-Íris
Na mitologia grega, Íris era a mensageira da deusa Juno. Como descia do céu num facho de luz e vestia um xale de sete cores, deu origem à palavra arco-íris. A divindade deu origem também ao termo íris, do olho.
Vermelho - Laranja - Amarelo - Verde - Azul - Anil - Violeta
Os Dez Mandamentos:
1º      Amar a Deus sobre todas as coisas
2º      Não tomar o Seu Santo Nome em vão
3º      Guardar os sábados
4º      Honrar pai e mãe
5º      Não matar
6º      Não pecar contra a castidade
7º      Não furtar
8º      Não levantar falso testemunho
9º      Não desejar a mulher do próximo
10º    Não cobiçar as coisas alheias
Os Doze Meses do Ano
Janeiro:           Homenagem ao Deus Janus, protector dos lares
Fevereiro:       Mês do festival de Februália (purificação dos pecados) em Roma;
Março:            Em homenagem a Marte, Deus guerreiro;
Abril:              Derivado do latim Aperire (o que abre). Possível referência à primavera no Hemisfério Norte;
Maio:              Acredita-se que se origine de Maia, deusa do crescimento das plantas;
Junho:             Mês que homenageia Juno, protetora das mulheres;
Julho:              No primeiro calendário romano, de 10 meses, era chamado de quintilis (5º mês). Foi rebatizado por Júlio César;
Agosto:           Inicialmente nomeado de sextilis (6º mês), mudou em homenagem a César Augusto;
Setembro:       Era o sétimo mês. Vem do latim septem;
Outubro:         Na contagem dos romanos, era o oitavo mês;
Novembro:      Vem do latim novem (nove);
Dezembro:      Era o décimo mês.
 
Os Doze Apóstolos
Simão Pedro - Tiago (o maior) - João - Filipe - Bartolomeu - Mateus - Tiago (o menor) - Simão - Judas Tadeu - Judas Iscariotes - André - Tomé
Após a traição de Judas Iscariotes, os outros onze apóstolos elegeram Matias para ocupar o seu lugar.
Os Doze Profetas do Antigo Testamento
Isaías - Jeremias - Jonas - Naum - Baruque - Ezequiel - Daniel - Oséias - Joel - Abdias - Habacuque - Amos
Os Quatro Evangelistas e a Esfinge
Lucas        representado pelo touro
Marcos      representado pelo leão
João           representado pela águia
Mateus      representado pelo anjo
 
Os Quatro Elementos e os Signos
Terra         Touro - Virgem - Capricórnio
Água          Câncer - Escorpião - Peixes
Fogo           Carneiro - Leão - Sagitário
Ar              Gémeos - Balança - Aquário
As Musas da Mitologia Grega
a quem se atribuía a inspiração das ciências e das artes
1 - Urânia             astronomia
2 - Tália                comédia
3 - Calíope           eloqüência e epopéia
4 - Polímnia         retórica
5 - Euterpe           música e poesia lírica
6 - Clio                 história
7 - Érato               poesia de amor
8 - Terpsícore       dança
9 - Melpômene     tragédia
 
Os Sete Sábios da Grécia Antiga:
1 - Sólon, 2 - Pítaco, 3 - Quílon, 4 - Tales de Mileto, 5 - Cleóbulo, 6 - Bias, 7 - Períandro
Os Múltiplos de Dez
Os prefixos usados em Megabytes, Kilowatt, milímetro...
Yotta        Y           = 1024 = 1.000.000.000.000.000.000.000.000
Zetta        Z           = 1021 = 1.000.000.000.000.000.000.000
Exa           E           = 1018 = 1.000.000.000.000.000.000
Peta          P           = 1015 = 1.000.000.000.000.000
Tera         T           = 1012 = 1.000.000.000.000
Giga         G           = 109  = 1.000.000.000
Mega       M          = 106  = 1.000.000
Kilo          k           = 103  = 1.000
Hecto       h           = 102  = 100
Deca        da          = 101  = 10
Uni                        = 100  = 1
Deci         d           = 10-1 =  0,1
Centi        c           = 10-2 =  0,01
Mili         m          = 10-3 =  0,001
Micro       µ           = 10-6 =  0,000.0001
Nano        n           = 10-9 =  0,000.000..001
Pico          p           = 10-12 = 0,000.000.000.001
Femto       f           = 10-15 = 0,000.000.000.000.001
Atto          a           = 10-18 = 0,000.000.000.000.000.001
Zepto        z           = 10-21 = 0,000.000.000.000.000.000.001
Yocto       y           = 10-24 = 0,000.000.000.000.000.000.000.001
Exa                       deriva da palavra grega 'hexa' que significa 'seis'
Penta                    deriva da palavra grega 'pente' que significa 'cinco'
Tera                      do grego 'téras' que significa 'monstro'
Giga                      do grego 'gígas' que significa 'gigante'
Mega                    do grego 'mégas' que significa 'grande'
Hecto                    do grego 'hekatón' que significa 'cem'
Deca                     do grego 'déka' que significa 'dez'
Deci                      do latim 'decimu' que significa 'décimo'
Mili                       do latim 'millesimu' que significa 'milésimo'
Micro                   do grego 'mikrós' que significa 'pequeno'
Nano                     do grego 'nánnos' que significa 'anão'
Pico                      do italiano 'piccolo' que significa 'pequeno'
Femto                   do dinamarquês 'femten' que significa 'quinze'
Atto                      do dinamarquês 'atten' que significa 'dezoito'
zepto e zetta        derivam do latim 'septem' que significa 'sete'
yocto e yotta       derivam do latim 'octo' que significa 'oito'
 
 
Conversão entre unidades:
cavalo-vapor         1 cv = 735,5 Watts
horsepower           1 hp = 745,7 Watts
polegada               1 in (1??) = 2,54 cm
pé                          1 ft (1?) = 30,48 cm
jarda                      1 yd = 0,9144 m
angström               1 Å = 10-10 m
milha marítima     =1852 m
milha terrestre      1mi = 1609 m
tonelada                1 t = 1000 kg
libra                      1 lb = 0,4536 kg
hectare                  1 ha = 10.000 m2
metro cúbico         1 m3 = 1000 l
minuto                  1 min = 60 s
hora                       1 h = 60 min = 3600 s
grau Celsius          0 ºC  = 32 ºF   = 273 K (Kelvin)
grau fahrenheit     =32 + 1,8 x ºC
 
 
Os Dez Números Arábicos
Os símbolos tem a ver com os ângulos:
o 0 não tem ângulos
o número 1 tem 1 ângulo
o número 2 tem 2 ângulos
o número 3 tem 3 ângulos
etc...
 
 
As Datas de Casamento:
1 ano            Bodas de Algodão
2 anos           Bodas de Papel
3 anos           Bodas de Trigo ou Couro
4 anos           Bodas de Flores e Frutas ou Cera
5 anos           Bodas de Madeira ou Ferro
10 anos         Bodas de Estanho ou Zinco
15 anos         Bodas de Cristal
20 anos         Bodas de Porcelana
25 anos         Bodas de Prata
30 anos         Bodas de Pérola
35 anos         Bodas de Coral
40 anos         Bodas de Rubi ou Esmeralda
45 anos         Bodas de Platina ou Safira
50 anos         Bodas de Ouro
55 anos         Bodas de Ametista
60 anos         Bodas de Diamante ou Jade
65 anos         Bodas de Ferro ou Safira
70 anos         Bodas de Vinho
75 anos         Bodas de Brilhante ou Alabastre
80 anos         Bodas de Nogueira ou Carvalho
Os Sete Anões:
Dunga - Zangado - Atchin - Soneca - Mestre - Dengoso – Feliz 
Você Sabia?
1    Durante a Guerra de Secessão, quando as tropas voltavam para o quartel após uma batalha sem nenhuma baixa, escreviam numa placa imensa: 'O Killed' (zero mortos). Daí surgiu a expressão ' O.K.' para indicar que tudo está bem.
2    Nos conventos, durante a leitura das Escrituras Sagradas, ao referirem-se a São José, diziam sempre ' Pater Putativus', (ou seja: 'Pai Suposto') abreviando em P.P. Assim surgiu o hábito, nos países de colonização espanhola, de chamar os ' José' de 'Pepe'.
3    Cada rei no baralho representa um grande Rei/Imperador da história:
Espadas: Rei David (Israel) - Paus: Alexandre Magno (Grécia/Macedónia) - Copas: Carlos Magno (França) - Ouros: Júlio César (Roma)
4    No Novo Testamento, no livro de São Mateus, está escrito ' é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha que um rico entrar no Reino dos Céus '. O problema é que São Jerónimo, o tradutor do texto, interpretou a palavra ' kamelos' como camelo, quando na verdade, em grego, 'kamelos' são as cordas grossas com que se amarram os barcos. A ideia da frase permanece a mesma, mas qual parece mais coerente?
5    Quando os conquistadores ingleses chegaram a Austrália, assustaram-se ao ver uns estranhos animais que davam saltos incríveis. Imediatamente chamaram um nativo (os aborígenes australianos eram extremamente pacíficos) e perguntaram qual o nome do bicho. O índio repetia ' Kan Ghu Ru', e portanto adaptaram-no ao inglês, 'kangaroo' (canguru ). Depois, os linguistas determinaram o significado, que era muito claro: os indígenas queriam dizer: 'Não te entendo'.
6    A parte do México conhecida como Yucatán vem da época da conquista, quando um espanhol perguntou a um indígena como eles chamavam esse lugar e o índio respondeu ' Yucatán'. Mas o espanhol não sabia que ele estava informando 'Não sou daqui'.
7    Existe uma rua no Rio de Janeiro, no bairro de São Cristóvão, chamada 'PEDRO IVO'. Quando um grupo de estudantes foi tentar descobrir quem foi esse tal de Pedro Ivo, descobriram que na verdade a rua homenageava D. Pedro I, que quando foi Rei de Portugal, foi aclamado como 'Pedro IV' (quarto). Pois bem, algum dos funcionários da Prefeitura, ao pensar que o nome da rua fora grafado errado, colocou um 'O' no final do nome. O erro permanece até hoje. Acredite se quiser...
 

O TEMPO É ALGO QUE NÃO VOLTA ATRÁS. POR ISSO PLANTE SEU JARDIM E DECORE SUA ALMA, AO INVÉS DE ESPERAR QUE ALGUÉM LHE TRAGA FLORES...
(WILLIAM SHAKESPEARE)

"O ESPÍRITA NÃO É MELHOR DO QUE NINGUÉM, MAS TEM OBRIGAÇÃO DE SER MELHOR DO QUE É, TODO DIA". (CARLOS BACCELLI)

"QUANDO EU FLOR, TU FLORES E ELE FLORES, NOS FLORES SEREMOS E O MUNDO FLORESCERÁ" (SANDRA BRACONNOT)

O MAIOR PRAZER DE UMA PESSOA INTELIGENTE É BANCAR O IDIOTA DIANTE DE UM IDIOTA QUE BANCA O INTELIGENTE.

  AMIZADE É O CONFORTO INDESCRITÍVEL DE NOS SENTIRMOS SEGUROS COM UMA PESSOA,
SEM SER PRECISO PESAR O QUE SE PENSA, NEM MEDIR O QUE SE DIZ. (GEORGE ELIOT)

PARA TER ALGO QUE NUNCA TEVE, É PRECISO FAZER ALGO QUE NUNCA FEZ.

QUANDO DEUS NOS TIRA ALGUMA COISA, ELE NÃO ESTÁ NOS PUNINDO,
SIMPLESMENTE ESTÁ ABRINDO NOSSAS MÃOS PARA QUE TENHAMOS COMO RECEBER ALGO MELHOR.

UM IRMÃO É UM AMIGO QUE DEUS LHE DEU; UM AMIGO É UM IRMÃO QUE SEU CORAÇÃO ESCOLHEU.

NÃO IMPORTA O QUE VOCÊ TEM NA VIDA, MAS QUEM VOCÊ TEM NA VIDA.

A CADA DIA QUE VIVO, MAIS ME CONVENÇO DE QUE O DESPERDÍCIO DA VIDA ESTÁ NO AMOR QUE NÃO DAMOS, NAS FORÇAS QUE NÃO
USAMOS, NA PRUDÊNCIA EGOÍSTA QUE NADA ARRISCA, E QUE, ESQUIVANDO-SE DO SOFRIMENTO, PERDEMOS TAMBÉM A FELICIDADE.
(CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)

HUMILDADE É O MAIOR DEGRAU DA SABEDORIA. QUEM LÊ, VÊ A VIDA COM OUTROS OLHOS.

TRATE OS DEFEITOS DOS OUTROS COM A MESMA CONSIDERAÇÃO QUE LIDA COM OS SEUS.

O MELHOR AMIGO É AQUELE QUE NOS FAZ SER MELHOR DO QUE JÁ SOMOS.
A VERDADEIRA AMIZADE É AQUELA QUE O VENTO NÃO LEVA E A DISTÂNCIA NÃO SEPARA.

CADA DIA NOS OFERECE UMA NOVA CHANGE DE SERMOS FELIZES E DE FAZER OUTRAS PESSOAS FELIZES.

O QUE OUTRAS PESSOAS DIZEM, OU FAZEM (EXCETO VIOLÊNCIA FÍSICA) NÃO AFETA VOCÊ.
APENAS O QUE VOCÊ PENSA SOBRE O QUE ELAS DIZEM OU FAZEM, AFETA VOCÊ.

JAMAIS CREIA QUE OS ANIMAIS SOFREM MENOS DO QUE OS HUMANOS. A DOR É A MESMA PARA ELES E PARA NÓS.
TALVEZ PIOR, POIS ELES NÃO PODEM AJUDAR A SI MESMOS. (DR. LOUIS J. CAMUTI)

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best WordPress Themes