Google+ Followers

Translate

follow in instagram

Instagram

quinta-feira, 28 de março de 2013

Inglês corneta Neymar: 'Justin Bieber do futebol. Brilhante no YouTube'


Joey Barton já é praticamente um especialista em Neymar e seleção brasileira. O sempre polêmico meia inglês, portanto, não perderia a grande oportunidade que foi o empate por 1 a 1 com a Rússia, em amistoso disputado nesta segunda-feira, no Stamford Bridge, em Londres. O atacante do Santos acabou o confronto novamente como um dos alvos do jogador do Olympique de Marselha.

Em seu perfil no Twitter com mais de dois milhões de seguidores, Barton comparou o brasileiro a um astro internacional com alta dose de ironia.

- Neymar é o Justin Bieber do futebol. Brilhante no YouTube, mas um xixi de gato na realidade - afirmou, deixando claro com uma expressão inglesa que ele não merece os elogios que recebe dos críticos.

- Neymar realmente tem sido um dos jogadores mais animados do Brasil hoje. Mas as pessoas deveriam parar de falar sobre. Ele não está na mesma estratosfera de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo. É incrível o que alguns vídeos decentes no YouTube podem conseguir. Eu vou ter que ficar fazendo algumas embaixadinhas no meu jardim - prosseguiu.

Um torcedor chegou a contestá-lo afirmando que com 21 anos nem o argentino tampouco o português empolgavam tanto como Neymar. Barton foi sucinto:

- Você está falando sério?

A seleção brasileira, que buscou o empate através do gol de Fred, aos 44 minutos do segundo tempo, também não escapou da corneta de Barton.

- Brasil simplesmente não é mais brasileiro. É como o Harlem Globetrotters, apenas viajando pelo dinheiro - disse, citando o famoso time de exibição de basquete americano.

Apenas o atacante Hulk, que entrou na etapa final e iniciou a jogada da igualdade, recebeu elogios.

- Hulk é um bom jogador. Mudou o jogo quando entrou... - encerrou.

Por:
http://www.paixaocanarinha.com.br/ingles_corneta_neymar_039_justin_bieber_do_futebol_brilhante_no_youtube_039-noticias_da_selecao_brasileira-ispyp-739577.htm

sábado, 23 de março de 2013

Cortes de carne de boi: veja de onde vem cada pedaço (picanha, alcatra, costela)

Cortes de Carne de Boi

O boi permite 21 tipos de cortes entre os considerados de “primeira” e os de “segunda”. Essas qualificações são geradas pelos próprios cortes; os valores nutritivos são os mesmos (em geral).

Sua carne é boa fonte de proteína, fósforo, ferro e de vitaminas do complexo B. A idade do gado abatido influi no sabor e na textura da carne, embora a maciez dependa muito do corte.

Quando alguém lhe convidar para comer uma carne de vitela, aceite imediatamente (a não ser que tenha ‘dó’). A vitela é o boi com menos de 6 meses de idade. Sua carne é mais tenra, de cor clara e pouco gordurosa. Tem as mesmas propriedades nutritivas que a carne de boi, porém é mais fácil de digerir. E como tem menos gordura, é aconselhada nas dietas de emagrecimento.

Não compre carne em açougues não muito confiáveis. Procure ser cliente de um estabelecimento bom, limpo e onde o açougueiro não seja apenas um cortador de carne, mas um profissional competente. Alguém que saiba cortar a carne, confirme as especificações exigidas e que, na falta daquela que você procura, possa orientá-la, com segurança, sobre outro tipo que possa substituí-la, sem problemas.

Antes de ser posta à venda, a carne bovina sofre um processo de maturação, que a torna mais macia e tenra.

Dicas para comprar:

Na hora de comprar a carne, preste atenção nas seguintes características:

* consistência firme e compacta;

* cor vermelho-brilhante;

* a gordura deve ser branca ou amarelo-pálida. Se for muito amarela, é sinal que o animal era velho e, portanto, que a carne é dura.

* comprando de um fornecedor idôneo, você se poupará de receber desagradáveis ‘contra-pesos’, que nada têm a ver com o que está sendo pago.

* a chamada carne de primeira é retirada de uma parte do animal que é menos exercitada, assim como a de segunda provém das mais exercitadas, tendo uma textura mais desenvolvida. Ao comprar qualquer um dos tipos, observe se ela está firme e brilhante, com aspecto saudável e levemente úmida.

Quantidade por pessoa:

* Carne sem osso – 200 gramas por pessoa.

* Carne com osso – 300 gramas por pessoa.

* Para o churrasco a quantidade aumenta para 500 a 600 gramas se for servida apenas a carne ou 400 a 500 gramas se for acompanhada por saladas, pães ou mandiocas.

Finalidade dos cortes:

No mercado existem cortes limpos, embalados a vácuo, e congelados, que podem ser conservados até por 90 dias, sem risco de contaminação. É o tipo chamado de carne resfriada. Às vezes sua cor é escura, o que é normal devido ao vácuo.

Há cortes para diferentes destinações. Para melhorar sua arte culinária. Ponha o pedaço certo em sua receita.

* Para assar: bisteca com osso, miolo de alcatra, picanha, maminha, coxão mole, lagarto, patinho e ponta-de-costela.

* Para refogar: cupim, acém, bisteca, patinho, fraldinha, capa de filé e filé de costela.

* Para ensopar: além dos que servem para refogar, entram rabo, tutano, ponta de agulha, aba de filé, peito e carne moída.

* Para fritar: contrafilé, patinho, coxão mole, alcatra e filé mignon.

Principais cortes:

* Acém: carne de “segunda”, relativamente magra, que pode entrar em cozidos, assados, refogados, ou preparada em bifes ou moída.

* Alcatra: de “primeira”, de fibras macias, uma das campeãs na preferência dos brasileiros, esta carne é, também, uma das mais nobres. Da peça inteira da alcatra, localizada no traseiro do boi, saem outros cortes igualmente apreciados, como a picanha e a maminha. É usada principalmente para fazer bifes, mas faz igual sucesso em assados e cozidos de panela.

* Bisteca: também conhecida como chuleta. É arredondada, intercalada por gordura amarelo-clara. Pode vir com ou sem osso, é considerada uma das mais saborosas do boi e pode ser servida assada, frita ou grelhada.

* Contra Filé: muito macio, é magro mas sua parte externa mostra grossa camada de gordura. Fica ótimo assado e frito. Com ele é feito o tradicional bife à cavalo (com ovo frito). Corte nobre do lombo do boi, fica ao lado do filé mignon.

* Costela: cercada de osso e gordura, é apropriada tanto para cozidos como para assados. É fibrosa e requer preparo lento, que pode chegar a 12 horas no “bafo” da churrasqueira, ou seja, longe da brasa.

* Coxão duro ou ponta de alcatra: é um pedaço com fibras grossas, mas menos macia que as do coxão mole. Mas de “primeira”, como esse. Indicada principalmente para sopas, ensopados e outras receitas que exigem cozimento lento, capaz de lhe amaciar. Vem do músculo traseiro do boi.

* Coxão mole: também chamada de chã de dentro, é constituído por fibras macias e curtas, com gordura e nervos, carne macia mas não muito suculenta. Durante muito tempo, foi sinônimo de carne para bife. Pode ser feita à milanesa, enrolada, assada ou na forma de escalopes.

* Cupim: é a corcova do boi zebu. Nele, fibras e gordura se entrelaçam. É saboroso e muito usado em churrasco. Mas exige um longo tempo de cozimento.

* Filé mignon: é extremamente macio, tenro e suculento, mas não muito saboroso, sempre pede um bom molho por acompanhamento. Peso médio: 2 quilos. Ideal para bifes altos, servidos ao ponto ou mal passados. Da França vêm dois cortes feitos com este pedaço: turnedô, pedaços mais grossos, e medalhão, mais finos. Fica ao longo do dorso do boi.

* Fraldinha: composta pela parede do abdômen do animal, tem fibras longas, nervos e gorduras. Já foi considerada carne de “segunda”. Muito consumida em churrascos (fatias finas que vão à grelha), espetinhos, assados de panela e receitas como estrogonofe. Pequena, macia e suculenta. Localizada na lateral do boi.

* Lagarto: de “primeira”, formado por fibras longas e magras, com uma parte externa gordurosa. Também conhecido como tatu. Carne dura, nada suculenta, com formato arredondado. Em assados, deve ser bem passado e pode ganhar recheios de farofa, cenoura ou lingüiça. Cru, cortado em fatias finíssimas, faz sucesso como carpaccio.

* Maminha da alcatra: Tirada da peça inteira da alcatra, é muito macia e suculenta, naturalmente, de “primeira”. Boa para assados e churrascos em geral. Pesa, em média, 2 kg.

* Músculo: às vezes considerado de “segunda”, às vezes de “terceira”. Cortado com osso toma o nome de osso-buco, muito valorizado na cozinha, principalmente a italiana. Ideal para sopas, caldos e cozidos. Deve ficar no fogo até amaciar. Desfiado pode ser usado também em saladas frias. É de ótimo sabor.

* Patinho: corte de “primeira”, com fibras macias. Ao fazer bifes corte-o no sentido das fibras para que não endureçam. Também usado picadinho e cozido como o prato húngaro “goulash”.

* Peito: dele é feito o pastrame, um temperado servido em fatias finíssimas, como o carpaccio. Entre outras receitas, dá origem ao “puchero”, cozido tradicional na Argentina. Exige muito tempo de cozimento por causa da grande quantidade de músculos e fibras. É de “segunda”.

* Picanha: inteira ou em bifes, essa carne é muito macia e suculenta e não pode faltar na grelha de um bom churrasco. Mas também pode ser preparada no forno, frita ou cozida. A parte mais tenra é a pontinha. Ao comprá-la, não se deixe enrolar. Ela deve ter não mais de 25 centímetros de comprimento e o peso ideal é de 1 quilo a 1.500 gramas, além de possuir um aspecto “marmorizado”, ou seja, entremeado por gordura. Se pesar mais você estará pagando uma parte em coxão duro e a peça não terá maciez uniforme.

* Rabo: compõe-se de diversos ossos recobertos com carne gordurosa e, como toda carne junto ao osso, bastante saboroso. É principal integrante do prato típico “rabada”.

Palavras relacionadas a este artigo:
como tratar rabada de boi
picanha em pedaco
picanha é carne de que
peso da picanha
peso da capa da picanha

Ver mais :

http://www.presenteparahomem.com.br/cortes-de-carne-de-boi-veja-de-onde-vem-cada-pedaco-picanha-alcatra-costela/

terça-feira, 19 de março de 2013

Cuidado com a língua! Palavras podem ser bênção e maldição !

A língua é um pequeno orgão na boca, cujo, e objeto de estudos ciêntificos no campo da medicina e psiquiatria. Através da língua nos falamos, e as palavras e um mundo maravilhoso de comunicação. As palavras constrói mundos, projetos, levando ânimo, casamentos são arranjados, filhos são educados, constrói belas amizades, canções, poemas, etc.
Através da palavra abêncoamos as pessoas, os filhos, os amigos, etc.
Entretanto, a bíblia nos mostra que a palavra pode ser usada de forma inapropriada, fora de tempo, com raiva, e, ao invés de construir, ela destrói, ao invés de fortalecer laços ela separa e desune, ao invés de aproximar as pessoas, ela afasta. E quando deveria ser canal de benção ela pode ser fonte de maldição, ministérios entra em ruinas, casamento naufraga, orações ficam sem resposta, corações ficam magoados, etc.

Vamos meditar na palavra de Deus !

01 - Fale só a verdade ! Ef. 4;25

O inimigo de nossas almas tem ganhado partido quando acha espaço em meio a mentira. Cultive as caracteristicas de um verdadeiro cristão.

2º) Cuidado com o falar em excesso: "No muito falar não falta transgressão, mas o que modera os lábios é prudente" (Pv 10.19). É necessário haver um controle de nossas palavras. Não podemos sair por aí falando de tudo. A Bíblia diz que há momentos de falar e momento de ficar calado. Não banalize a palavra. Não fique falando, falando e falando a todo o momento, a toda hora, com seu filho, com seu cônjuge. Quando falar, procure as palavras proveitosas para a edificação e que glorifica a Cristo.

3º) Vida ou morte ou que você prefere ?

"A morte e a vida estão no poder da língua" (Pv 18.21).

Palavras boas, curam, palavras trazem alívio, trazem alegria, esperança, conforto, pespectivas, trazem novo ânimo, palavras agradáveis são como favo de mel (Pv 16.24).

As palavras também são poderosas armas usadas pelo inimigo para provocar as discórdias, as lutas, as separações. "A palavra branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira" (Pv 15.1). O crente é chamado para falar de vida e não de morte, falar das virtudes do próximo e não de seus defeitos e através da palavra "confessar uns aos outros dos seus pecados" (Tg 5.16) para que sejamos curados. 4º) Não ceda ao impulso de falar, de responder, de reagir imediatamente. Busque a direção do Espírito:

"Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar" (Tg 1.19). Entretanto temos visto nas igrejas, pessoas sempre prontas a falarem, falarem,...sempre falarem.

Nossa primeira reação diante de algo que nos ofendeu ou nos magoou é reagir imediatamente com palavras duras. É muito comum depois nos arrependermos por não termos permanecido calados. A coisa é tão séria que a Bíblia chega a dizer que "maior é aquele que domina o seu espírito, do que o que toma uma cidade" (Pv 16.32). Mas não tem jeito: ou o Espírito nos domina ou seremos dominados pelo nosso gênio. E depois agüente as conseqüências. Por isso, não fale nada que não edifique. Não fale nada pela carne. Não fale nada quando estiver com raiva. Não resolva os problemas no calor da ira. Seja sábio e não tolo. Não fale nada que você venha a se arrepender mais tarde. Não fale nada que diminua o seu irmão. Não fale nada fora de hora.

Uma pessoa foi convidado para ensinar na EETAD, aqui em Londres. Esse jovem tinha por hábito voar na imaginação teológica trazendo pareceres meramente humano e sem consistencia bíblica, quando questionei um determinado assunto, ele enraiveceu chegando ao ponto de pedir pra mim calar-se em classe. Isso mesmo ! a mim que que tinha quatro anos na frente da escola e mais de 15 no ministério de ensino, foi um tremendo constragimento que contaminou a classe. Vigia sempre o seu temperamento.

Se tiver de exortar ou corrigir, fale chorando, fale com dor, fale com amor, fale com temperança, mas não fale nada além do necessário. Não banalize a palavra, seja comedido no falar, fale com sabedoria. Se você fala pouco e com discrição, vão lhe procurar para ouvi-lo. Se você fala muito, se você fica repetindo a todo momento sempre as mesmas coisas, você está banalizando a palavra. As pessoas vão te escutar, mas não vão te ouvir. Deus criou o mundo pela palavra. As palavras têm poder: podem criar mas também podem destruir. Quantos casamentos e quantas igrejas sofrem pelo nosso mau uso da palavra (sebemos muito bém que o inimigo esta ao derredor, mas em muitos casos o culpado por tamanha destruição e a falta de vigilança no que diz). Palavra é para ser benção. Quando falar, fale só para edificação !



Deus abêncõem ricamente e continuem buscando crescer na graça e no conhecimento do Senhor Jesus.

Fque na paz do Senhor

Londres 19-06-009

Stanfor hill

ministério José Messias

ESCRITO POR MINISTÉRIO JOSÉ MESSIAS

domingo, 17 de março de 2013

ACABE COM A MURMURAÇÃO OU ELA ACABARÁ COM VOCE

• Murmurar significa: queixar-se, lastimar-se, falar mal, apontar falta, fazer mau juízo de alguém ou de alguma coisa.
• O perfil do murmurador é o perfil de uma pessoa sem fé, altamente insegura.
• Uma pessoa cheia de dúvidas vai murmurar em qualquer situação. Uma pessoa cheia de fé vai louvar o senhor em qualquer situação.
• A murmuração é pior que o vicio do fumo e da bebida, mas se aceita tranquilamente o murmurador, porque aparentemente o murmurador é inofensivo.
• Outra característica do murmurador é que ele não se nega a realizar as suas tarefas ou cumprir os seus deveres, mostra-se até mais trabalhador do que os outros, o problema reside no fato dela fazer reclamando. Foi por isso que o apostolo Paulo disse: “fazei tudo sem murmuração!”
• O murmurador encontra defeito em tudo. Se o pastor prega apenas quinze minutos ta sem repertório! Se prega uma hora quer matar a gente! Se ponha outro para pregar, ele ganha pra isso! Quando não coloca ninguém, só pensa nele. Não agüento mais ouvir estas mesmas musicas. Se coloca musica nova, não sei cantar. Se falar de oferta é dinheirista, se não fala é medroso e não quer que a gente prospere. Nessa igreja não tem amor. A quanto tempo ninguém me visita.
• O murmurado começa a murmurar primeiro em seu coração e depois com a sua boca (Mateus 12:34).
• Murmuração nao depende das circunstancias, porque é um estilo de vida, uma cultura criada, um estado de espírito.
• Murmuração é uma doença emocional muito grave. A murmuração leva a pessoa a ser crítica demais e o critico semeia dissensão entre os irmão, o que é uma das sete abominações para Deus (Provérbios 6:16-19).
• No mundo as pessoas são estimuladas a reclamar, fazer greves, reivindicar, mas no reino de Deus o mandamento é outro: Fazer tudo sem murmurações nem contendas.

PORQUE AS PESSOAS MURMURAM?

1. Deixam de vigiar.
• O diabo criará situações para fazer você murmurar.
• O diabo coloca uma venda nos olhos da pessoa para ela não ver o que é bom.
2. As pessoas murmuram porque perderam o amor.
3. As pessoas murmuram porque são oprimidas por demônios.
• O demônio da insatisfação.
• Pessoa eximia em criticar o culto e os pastores!
4. O murmurador não vai morar no céu. Lá vai a prostituta e o ladrão salvo morar, mas não vimos na Bíblia nem um caso de murmurador salvo.
5. Todo murmurador é mentiroso

COMO LEVAR UMA VIDA SEM MURMURAÇÃO

• Devemos transformar a nossa mente (Romanos 12:2).
• Da próxima vez que você for murmurar, experimente fazer aquilo com amor!
• Não bote lenha na fogueira do murmurador, mude de assunto.
• O murmurador não se dá conta de que é tão chato, então é preciso alguém chegar pra ele com amor e carinho e dizer o quanto aquilo o prejudica.
• Quando voce sabe que uma pessoa é murmuradora, não de muita atenção as suas murmurações.
• Cuidado ao relacionar-se com um murmurador.
• Lembre-se o deixa-se de murmurar ou morre no deserto.

A FIGURA CONTROVERTIDA DO PASTOR:

Se o pastor é dinâmico, ele é ativista.

Se for calmo, não tem visão ou é preguiçoso.

Se o pastor é exigente, ele é intolerante e ditador.

Se não exige, ele é displicente e negligente com o ministério.

Se o pastor visita, é porque gosta de incomodar o sossego dos outros.

Se não visita, é irresponsável e descuidado com as ovelhas.

Se o pastor se veste bem, ele é vaidoso, extravagante ou janota. Veste-se mal, ele é relaxado e tem mau gosto.

Se o pastor anda sorrindo, ele é irreverente e gaiato.

Se não solta um sorriso, é porque anda estressado.

Se o pastor fica com os jovens, é imaturo e não se coloca no seu lugar.

Se com os adultos, é antiquado, ultrapassado e cafona.

Se ficar com as crianças, é infantil e precisa amadurecer.

Se procurar atualizar-se, ele é mundano e tem mentalidade secular.

Se não se atualiza, é mente fechada e não quer se reciclar.

Se o pastor cuida da família, é descuidado com a igreja.

Se cuidar da igreja, é descuidado com a família.

Se pregar muito tempo, é prolixo, cansativo, metido a intelectual.

Se pregar pouco, é que não tem mensagem, nem da internet.

Se procurar agradar a todos, é sem personalidade e interesseiro.

Se for positivo e procura corrigir e disciplinar o rebanho, é porque é parcial e só disciplina os fracos.

Se realizar programas novos, é que só quer viver de promoções e ôba-ôba!

Se não realiza, é que não tem idéias novas.

Se o pastor é alegre, é sem linha e deveria ter mais compostura.

Se chorar no púlpito, é chorão, sensível demais e não tem domínio próprio.

Se o pastor organiza trabalhos e campanhas, é explorador do rebanho.

Se não organiza, é que não dá trabalho ao rebanho e não tem criatividade.

Se o pastor fala alto, é que não tem argumentos para convencer.

Se falar baixo, é um coitado, tímido, e nem voz tem.

Se o pastor prega nas ruas, é porque barateia o evangelho.

Se só fica na igreja, está acomodado nas quatro paredes do templo.

Se o pastor faz amizades no rebanho, é que tem panelinha e faz acepção de pessoas.

Se ora muito, é porque não tem o que fazer ou está querendo aparecer.

Se orar pouco, é um pastor relaxado, irresponsável, preguiçoso e carnal.

Se o culto termina cedo, ele é frio e não deixa o Espírito operar na Igreja.

Se o culto excede o horário, é irresponsável e impontual.

Se o pastor fala em outras línguas em público, deveria evitar e atentar para a decência e para a ordem do culto.

Se não fala, deixou de ser renovado ou perdeu o dom.

Se o sermão pastoral tem dez pontos, é chato e cansativo.

Se o sermão tem apenas dois pontos, ele não tem conhecimento bíblico.

Se ao pregar trata de necessidades da congregação, está expondo as pessoas.

Se faltar a algum culto, é porque está pensando em deixar a igreja.

Se nunca falta a qualquer culto, vai terminar um dia no psiquiatra.

Se o pastor prospera financeiramente, deve estar roubando da Igreja.

Se não prospera, está em pecado ou tem pouca fé.

Texto: Filipenses 2:14 – II Cor 10:10
Por
cristianonetto.com.br





sexta-feira, 8 de março de 2013

História do 8 de março


No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).





Objetivo da Data

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.



Conquistas das Mulheres Brasileiras

Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.



Marcos das Conquistas das Mulheres na História

- 1788 - o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.

- 1840 - Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos.

- 1859 - surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres.

- 1862 - durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia.

- 1865 - na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs.

- 1866 - No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas

- 1869 - é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres

- 1870 - Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina.

- 1874 - criada no Japão a primeira escola normal para moças

- 1878 - criada na Rússia uma Universidade Feminina

- 1901 - o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres



Fonte: suapesquisa.com

terça-feira, 5 de março de 2013

A Consciência


A consciência revela o que cada homem acredita que “deve” ser (Atos 23:1,24; 24:16; 26:9-11). É indicativo de seu sentimento interno sobre o moral correto, do ideal nobre pelo qual sente que deve lutar. É o seu estímulo em direção à sua concepção de alturas morais, e seus freios contra fazer o que acredita ser errado. A consciência não é o padrão final da verdade, porque isso deve vir de Deus através da revelação; mas a consciência para Deus diz a atitude do indivíduo em relação a Deus. É por isso que o homem tem que fazer o que ele verdadeiramente acredita que Deus quer que ele faça (Romanos 14).

Enquanto alguém tenta fazer o que acredita que Deus quer que faça, ➊ ele pode ter um conceito errôneo do que Deus deseja (que era o caso de Saulo, ao perseguir os cristãos), ou ➋ ele pode, por causa da fraqueza da carne, agir de modo contrário às suas intenções boas (Romanos 7:22 em diante). Neste caso, ele fica infeliz por causa de sua consciência – humilhado diante de Deus, e reconhecedor da sua necessidade do perdão em Cristo. Somos todos criaturas imperfeitas, e devemos, às vezes, sentir esta aflição.

Mas e aqueles que participam, aceitam e apóiam aquilo que é contrário à palavra de Deus ou que não tem nenhuma autorização divina? Podem não saber que é errado e podem estar agindo com boa consciência diante de Deus. Neste caso, informações adicionais sobre a palavra de Deus seriam bem aceitas. Porque querem verdadeiramente fazer sua vontade, abrirão sua Bíblias com alegria, investigarão e mudarão sua conduta para encaixar-se na evidência. Desta maneira eles mantêm uma boa consciência diante de Deus (1 Pedro 3:21).

Entretanto, infelizmente, nós devemos reconhecer que há aqueles que não têm tal caráter nobre (Atos 17:11). Ficam irritados se sua prática for questionada. Amam o elogio dos homens mais do que o elogio de Deus (João 12:42-43). Se sua consciência para Deus continuar a funcionar, conduzem a uma vida infeliz, lutando com si, oprimidos com os sentimentos de culpa. Indesejável – sim, mas ainda há esperança enquanto a batalha acontece. Como é terrivelmente triste ver alguém cuja consciência está cauterizada (1 Timóteo 4:2), e que pode rejeitar Deus sem receio algum.

–por Robert Turner

Inferno - Existe um inferno de fogo?


O Inferno na Bíblia

A palavra inferno vem do latim inferii e significa lugar inferior. A idéia de inferno como um lugar de fogo para onde vão almas incorpóreas condenadas não se encontra nas Escrituras, apesar de aplicações que se fazem de textos simbólicos e parábolas.

Também a palavra inferno não faz parte do texto original da Bíblia como acontece com as palavras evangelho, batismo e outras que estão na Palavra de Deus.

A palavra inferno foi colocada nas traduções em português para substituir cinco outras palavras com significado completamente diferente do conceito religioso popular de inferno. Isso ocorreu devido à crença que o tradutor nutria previamente e que o influenciou a colocar a palavra inferno nas traduções que fez.

Algumas Bíblias antigas trazem inferno em I Cor 15:55 mas algumas modernas como a Almeida Atualizada trás “morte”, que é o correto. O mesmo ocorre em Apoc 20:13 onde se lia “a morte e o inferno”, encontra-se agora, “a morte e o além”, mas a palavra lá é hades (grego) e significa “sepultura”.

A doutrina do inferno é de origem grega e romana e as pessoas são induzidas a crer nela pela formação religiosa anterior que receberem além das falhas das traduções que geralmente usam e fortalecem um pensamento anti-bíblico.
As cinco palavras que foram erroneamente traduzidas por “inferno” são:

1. GEENA (hebraico) que é uma forma simplificada da expressão ge (vale) bem (filho) e Hinom (nome da família proprietária da área), ou seja, vale dos filhos de Hinom. Essa palavra se encontra nos evangelhos como em Mateus 5:22, 29 e nada tem a ver com um inferno de fogo eterno. Era um vale onde, no passado, se fazia sacrifícios humanos e se queimavam os corpos de pessoas aos ídolos. O profeta Jeremias profetizou que ali seriam lançados os corpos dos desobedientes e que ali ficariam expostos (Jer. 7:31-34). Nos dias de Jesus o local continuava a ser depósito de animais e lixo em putrefação e os moradores sempre ateavam fogo para consumir os restos ali deixados. Esse lugar Jesus usou para simbolizar o fim trágico que aguarda os desobedientes. Apenas corpos físicos eram consumidos no GEENA por isso que havia bichos nos corpos podres, coisa que almas não têm. Nada a ver com almas num fogo eterno.

2. HADES (grego) usada no NT juntamente com Sheol (hebraico) usada no AT significam “sepultura, lugar dos mortos, morada dos mortos”. Entre outros textos esta palavra (hades) encontra-se em Apoc. 20:13. Aqui o inferno (na verdade a sepultura) é o lugar onde estão os mortos, pois ele mesmo, o inferno=sepultura, é lançado no lago de fogo onde é destruído (Apoc. 20:14) pois a sepultura é o símbolo da morte que Jesus destruiu. Sheol, seu equivalente hebraico, também significa sepultura, sendo equivocadamente traduzida por “inferno”. Em Jó 17:16 declara-se que os mortos ficam no pó e em Isa. 14:9-11 se declara que o inferno (sheol) é um lugar onde os bichos comem os cadáveres. Também nada a ver com lugar de fogo eterno. Aliás, ainda em Apoc. 20:10 se diz que o próprio Diabo somente será lançado no lago de fogo, que se forma quando Jesus volta no Juízo Final, quando Deus derrama fogo do céu. No verso 14 diz que o próprio inferno (sepultura) também é lançado nesse final lago de fogo. Ao final explicaremos sobre o fogo ser “eterno”.

3. TANATO (grego). Esta palavra ocorre em vários lugares, mas é traduzida em I Cor. 15:55 como inferno. Na realidade a falha de tradução foi tão clara que nem os que crêem no inferno tradicional mantiveram o erro, e corrigiram na Almeida Atualizada. Lá diz “onde está ó morte (tanato) a tua vitória onde está ó inferno (tanato=morte) o teu aguilhão?” O verso 54, anterior, diz que a morte (inferno) perde a vitória e o aguilhão porque Jesus nos dá a imortalidade. Também não tem nada a ver com um lugar de fogo onde as pessoas ficam queimando.

4. A quinta e última palavra é TÀRTAROS (lugar de trevas). Esta palavra ocorre na Bíblia apenas uma vez em II Pedro 2:4. O próprio texto declara que os anjos foram expulsos da presença de Deus, ou seja, onde está a verdadeira luz, para o exterior que são as trevas, privados da luz do céu onde moravam e sem ela neles uma vez que pecaram. Conforme diz o texto esse “inferno” também não tem fogo, somente a escuridão da ausência de Deus. Além do mais, em harmonia com Apoc, 20:9,10,14 eles estão aguardando o Juízo Final quando, somente então, serão lançados no Lago de Fogo produzido pelo fogo que desce do Céu e que os destrói juntamente com os que rejeitaram a salvação de Cristo. Esta palavra, a última, também nada tem a ver com o inferno tradicional.

Surge então a pergunta: e o fogo eterno que diz Apoc. 20 se formará depois do milênio com o fogo e enxofre que desce do céu?

A expressão eterno é “aion” (grego) que significa uma duração relativa ao que se refere. Pode estar falando que é eterno sem fim ou que é eterno “enquanto dura” como disse certo poeta. Ou seja, precisamos examinar o contexto para saber se é eterno sem fim ou eterno até que acabe.

Em Apoc. 20:10 diz que serão atormentados pelos séculos dos séculos (“aion ton aion” em grego= para sempre, eternamente conforme algumas traduções). Mas esse “pelos séculos dos séculos é previamente explicado no verso anterior, o v. 9 que diz que o fogo que desceu “do céu os CONSUMIU”, logo, serão atormentados eternamente até que toda a substância seja consumida, e seu resultado, a destruição, será eterna, pois o fumo, ou fumaça que disso resultar estará no espaço “para sempre”, isto é, até que tudo que pode ser queimado, acabe.

Mas, além do significado gramatical de “eterno” e da explicação de Apoc. v. 9, há muitas passagens declarando que o fogo que destrói os maus nos últimos dias é um eterno até que consuma tudo e somente deixe as cinzas. Por exemplo, Judas 6,7 diz de forma clara que os anjos estão em trevas esperando o Juízo (igual diz Pedro como já vimos) em “algemas ETERNAS” (aion) . Ora, as algemas eternas serão tiradas quando chegar o Juízo e a condenação final, e a sentença for decretada., assim, a algema é eterna somente até que se cumpra o objetivo e sejam consumidos.

O verso 7 diz que o “exemplo do fogo eterno” é o da punição que caiu sobre Sodoma e Gomorra e as cidades vizinhas. Qual foi a punição de Sodoma e Gomorra? Estão queimando até hoje? A Bíblia diz que não, veja Gênesis 19:24-29. O apóstolo Pedro declara que Sodoma e Gomorra se tornaram em “cinzas” (II Pedro 2:6) para mostrar o exemplo do que acontecerá aos que vivem impiamente. Portanto, o fogo é eterno até consumir tudo neste planeta e Deus criar aqui um Novo céu e uma Nova Terra. Apoc. 21:1, 5 diz que Deus, então, fará novas todas as coisas.
Deus é amor, como deixaria alguém ficar por milênios, pela eternidade afora, se queimando em dores inimagináveis por pecados de uma vida passageira. Ele não prometeu isso, mas disse que o homem que pecasse, morreria. Se comesse da árvore da Ciência do Bem e do Mal morreria.
Para finalizar a Bíblia diz que TODOS os ímpios se tornarão cinzas no dia do Senhor. (Malaquias 4:1-3) o que concorda plenamente com o dizer de Apoc. 20:9; II Pedro 2:6 entre outras passagens. E o próprio Satanás será consumido, o que concorda com Apoc 20:9. Veja Ezequiel 28:14-19.

Mas, e a parábola do rico e Lázaro? (Lucas 16:19-31). O nome do relato já diz é uma “parábola” onde não se vai para o céu, mas para o simbólico “seio Abraão”, também não se trata de “almas” no fogo mas de corpo físico com dedo, língua e que sente calor e pede água para matar a sede, fisiologia de corpo vivo que está sendo queimado, como ocorrerá no Juízo Final. Também deixa clara, a parábola que o mendigo morto e salvo foi levado “pelos anjos”, o que somente ocorrerá no futuro, na volta de Jesus (Veja I Tessalonicenses 4:13-17 entre outras passagens). E quanto a recompensa dos salvos (como no caso do mendigo da parábola) ou dos Perdidos (representado pelo rico da parábola) a mesma parábola declara que ambas as situações somente ocorrerão quando a chegar a ressurreição, que é a única forma (como vimos na passagem anterior) de se voltar de entre os mortos seja para a vida, seja para a morte eterna. (verso 32 e João 5:28, 29).
Finalmente, o apóstolo Paulo ensina que mesmo os que morreram em Cristo não estão salvos a não ser quando ocorrer a ressurreição. Eles não vão para o céu ou um lugar de tormento ao morrerem. Isso somente ocorrerá com a final destruição dos ímpios na volta de Jesus. Também não vão como almas sem corpo. A Bíblia ensina que se não houver ressurreição “naquele dia”, todos os que morreram em Cristo, mesmo eles, estarão perdidos. Leia I Coríntios 15:16-18.
Em Ezequiel 18:23, 32 Deus declara que não tem prazer na MORTE do ímpio, não se compraz em seu tormento eterno. “Porque não tomo prazer na morte do que morre, diz o Senhor Jeová, convertei-vos, pois e vivei.”

Perder a salvação, sofrer “conforme as suas obras” e receber a morte e o esquecimento eterno é a maior punição que Deus pode dar a alguém. Sadismo é se deleitar na dor prolongada de alguém. Deus não se deleita nem mesmo no ato da morte quanto mais na contemplação eterna de alguém em infinitas agonias. Graças a Deus que sua Palavra nos informa: “não tenho prazer na morte do que morre” mesmo que seja ímpio. A extinção é a pena máxima.
Graças a Deus pois Ele é amor!


Pr Demóstenes Neves da Silva
SALT/NE.novembro/2002

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best WordPress Themes