Google+ Followers

Translate

follow in instagram

Instagram

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida... Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito:"Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes".No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:- Quem será que estava atrapalhando o meu progresso ?- Ainda bem que esse infeliz morreu !Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles.A pergunta ecoava na mente de todos: "Quem está nesse caixão"?No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo... Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo. "SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA... QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA."O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando "você muda".Luis Fernando Veríssimo

segunda-feira, 6 de maio de 2013

A verdade prevalece sobre a mentira


A verdade prevalece sobre a mentira

A VERDADE PREVALECE SOBRE A MENTIRA -MATEUS 28:11-15;ATOS 4:32-37

INTODUÇÃO—Nesses versículos lido encontramos dois grupos de pessoas. Um grupo financiando a mentira e o outro grupo financiando a verdade. Deus, através desses dois grupos, tem uma grande revelação para nós.

CORPO- Mateus 28:11-15—Encontramos aqui,um grupo financiando a mentira.Logo em seguida, após a morte de Jesus, os sacerdotes e os fariseus se reuniram e decidiram colocar guardas no sepulcro de Jesus.Pois eles ouviram Jesus falar que ao terceiro dia ressuscitaria e julgaram que os discípulos de Jesus tiraram o corpo do sepulcro.
V-11—Os guardas viram realmente que Jesus ressuscitou e contaram o fato aos príncipes e sacerdotes.Contaram exatamente com tinha acontecido.(Mateus 28:2-4).O diabo, mesmo sabendo de sua derrota, ele ainda tentou dar sua última cartada.

V-12-15—As autoridades da cidade se reuniram, tirou uma grande oferta entre eles.Os escribas e fariseus deram dinheiro alto para os soldados não contarem a verdade, mas sim contarem que foram os discípulos que roubaram o corpo de Jesus.

Atos 4:32-37—Agora encontramos aqui outro grupo financiando a verdade.A igreja é o grupo que financia a verdade.No mundo tem um enorme grupo que está financiando a mentira.Porque que os espíritas, macumbeiros, terreiros crescem dia a dia? É porque as pessoas lá fora investem pesado para que a doutrina do diabo cresça.Enquanto que a igreja de Cristo que é a verdade, muitos estão deixando de investir na verdade quando não consagram o dízimo e ofertas e não dão ofertas para missões.Cada vez que você deixa de consagrar seu dízimo e ofertar, você está contribuindo para que uma alma vá para o inferno.Por isso que quem é dizimista e dá ofertas é abençoado; pois cada vez que você consagra seu dízimo, e dá ofertas,você está contribuindo para salvação de uma alma e uma alma vale mais que o mundo inteiro.Essa é a visão.

CONCLUSÃO—Aquele menino investiu na verdade, dando os pães e os peixes aos pés de Jesus.(João 6:9, 10).Barnabé investiu na verdade, dando sua fazenda aos pés dos apóstolos.(Atos 4:36, 37).A viúva investiu na verdade, dando comida para Elias (I Reis 17:8-16).Deus investiu na verdade, dando Seu Filho.Jesus investiu na verdade, dando Sua vida na cruz.E você? Você quer ter uma vida abençoada?Começa investir na obra de Deus.Elias ensinou a viúva provar a Deus (I Reis 17:13-16).E eu estou te ensinando colocar também Deus à prova.O Deus de Elias está vivo.Se você investir na obra de Deus, a tua vida financeira vai mudar.Diabo, agora é a tua vez de chorar.Você que tem passado vergonha tem sido humilhado, com cobranças em tua porta, Deus tem uma promessa para você (Isaias 61:7).Você que tem achado que a tua vida tem sido motiva de vergonha, e por isso você não encontra motivo de louvar o Senhor, a partir de hoje o Senhor fará da tua vida o motivo de louvor.Haverá uma transformação radical na tua vida, se você começar a investir na verdade.Deus fez uma aliança com você (Salmo 89:3).Deus é formidável no meio do Seu povo, por isso deve ser reverenciado por todos nós. (Salmo 89:7). Talvez ondas de problemas tem se levantado contra você,mas Deus quer cumprir a Sua promessa na tua vida )Salmo 89:9).

Fonte: www.quadrangular.com.br
Rev. Carlos Henrique

O que fazer para manter meu filho dentro da igreja?


O que fazer para manter meu filho dentro da igreja?




. .Como membro da sociedade os pais cristãos precisam educar seus filhos, e não deve deixar tal encargo sob responsabilidade da igreja, ou de qualquer outra instituição. Tal incumbência é única e exclusivamente dos pais. Se faltar os pais, tal incumbência deve ser transferida a outra pessoa que desempenhe este papel: avós, tios, ou, em último caso, uma instituição estabelecida pela sociedade (orfanato).



O que fazer para manter meu filho dentro da igreja? Esta é uma pergunta feita por muitos pais cristãos.


Aqueles que têm filhos pequenos querem fórmulas para prevenir que seus filhos não se desviem da igreja, e os que têm filhos grandes, que se distanciaram da igreja, desejam que Deus realize um milagre.


O que fazer?
Em primeiro lugar, todo cristão deve estar consciente que ‘os filhos da carne não são filhos de Deus’. Como? O meu filho, nascido em berço evangélico e/ou protestante não é filho de Deus?



Ora, se ‘filho de crente fosse filho de Deus’, teríamos que concordar que todos os descendentes de Abraão também são filhos de Deus, porém, não é isto que a bíblia ensina.


O apóstolo Paulo ao escrever aos cristãos em Roma, deixou claro que, ser descendente da carne de Abraão não é o que concede filiação divina “Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são de Israel são israelitas; Nem por serem descendência de Abraão são todos filhos” ( Rm 9:6 -7 ).


Ou seja, “... não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa são contados como descendência” ( Rm 9:8 ). Ora, se os filhos de Abraão não são filhos de Deus, segue-se também que filho de crente não é filho de Deus.


Logo, qualquer que queira alcançar filiação divina tem que ter a mesma fé que teve o crente Abraão, ou seja, para que um filho de um cristão seja filho de Deus, necessariamente precisa crer do mesmo modo que o pai creu na mensagem do evangelho “Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão” ( Gl 3:7 ).


Somente os que são gerados através da semente incorruptível, que é a palavra de Deus, são filhos de Deus, ou seja, filhos de cristãos não são necessariamente filhos de Deus.


Em segundo lugar, todos cristãos devem estar cônscios que o corpo de Cristo, que também é nomeado de igreja, não pode ser confundido com instituições humanas, tais como a família e a igreja. Fazer parte de uma instituição humana não torna o homem pertencente ao corpo de Cristo, ou seja, salvo.


Como membro da sociedade os pais cristãos precisam educar seus filhos, e não deve deixar tal encargo sob responsabilidade da igreja, ou de qualquer outra instituição. Tal incumbência é única e exclusivamente dos pais. Se faltar os pais, tal incumbência deve ser transferida a outra pessoa que desempenhe este papel: avós, tios, ou, em último caso, uma instituição estabelecida pela sociedade (orfanato).


Por que a missão de educar filhos não pode ser delegada? Porque dentro da normalidade os pais são as pessoas que possuem a melhor e maior relação de confiança nos primeiros anos de vida de um indivíduo. Com base nesta relação de confiança a instituição família torna-se um laboratório onde todos os ensaios para se produzir um cidadão responsável é levado a efeito.


Dentro da família é que se aprende o que é autoridade e responsabilidade. No seio da família é que se aprende e se desenvolvem as relações humanas, tais como fraternidade, amizade, confiança, respeito, afetividade, etc.


Como os pais possuem a melhor e maior relação de confiança, também são eles os mais indicados para apresentar o evangelho de Cristo às crianças durante o processo educativo. Portanto, é salutar que os pais não apresentem aos filhos um Deus vingativo e rancoroso. Frases do tipo: “– Não faça isto porque papai do céu não gosta! Ou, - se você fizer isto, Deus castiga!”, não reflete a verdade do evangelho e causa um prejuízo enorme a compreensão da criança.


A relação que o evangelho estabelece entre Deus e os homens se pauta pela confiança e fidelidade. É possível confiar em alguém rancoroso e vingativo? Não! Ora, como é possível um jovem confiar em Deus, se o que lhe foi apresentado não condiz com a verdade do evangelho?


Os pais precisam demonstrar aos filhos que alguns comportamentos não são tolerados porque efetivamente o pai e a mãe desaprovam. Que tais atitudes são proibidas efetivamente pelo pai e pela mãe. Que tal comportamento é pernicioso e toda a sociedade também desaprovam.


Não apresente para seu filho um Deus rancoroso, nervoso, que está pronto a castigá-lo diante de qualquer erro de conduta. Tal comportamento por parte dos pais demonstra claramente que estão fugindo de sua responsabilidade como educador.


Educar os filhos estabelecendo uma relação de medo, tendo Deus, a igreja, o pastor, o padre, o diabo, o inferno, a polícia, boi da cara preta, etc., como algozes ou elemento de punição, acaba por produzir homens que não respeitam as instituições e desprezam os que exercem autoridade. Este tipo de educação estabelece o medo em lugar do respeito, pois a relação de confiança não é estabelecida. Quando o medo passa já não há mais motivo para obedecer.


Os pais que agem desta maneira ao educar os seus filhos têm sim sua parcela de culpa no desencaminhar dos filhos. A igreja também tem o seu quinhão, pois deixou de apontar os pais como únicos e legítimos responsáveis pela educação dos seus filhos. O estado também é culpado, pois assume o papel de educador, quando na verdade, é somente veículo de transmissão de conhecimento.


Se as bases da educação não forem delineadas no seio da família, e tais conceitos aplicados e experimentados nas relações familiar, qualquer outra instituição humana, como a igreja e o estado estarão fadados ao fracasso.


Muitos pais se aplicam ao trabalho, ao estudo e a igreja, porém, não investem tempo na educação dos filhos. A educação dos filhos se dá em tempo integral e não é salutar negligenciar este tempo.


A preocupação com os filhos geralmente surge apenas quando os pais cristãos sentem que seus filhos estão se distanciando da instituição igreja. Temerosos apelam para a imposição e coerção, obrigando os filhos a irem à igreja. Tal atitude é ainda mais equivocada do que não ter instruído a criança no tempo certo.


Estas questões sobressaltam alguns pais cristãos porque não sabem divisar qual é o seu papel como membro da sociedade, e qual a sua missão como embaixador do evangelho. Pais cristãos não podem misturar estas duas funções.


Os pais cristãos têm duas missões bem distintas: a) educar os filhos para serem membros da sociedade, e; b) anunciar as maravilhosas promessas do evangelho aos filhos para que jamais se distanciem da fé.


Estas missões devem ser desempenhadas desde a mais tenra idade, tendo o cuidado de se ocupar simultaneamente da educação e formação de um cidadão, sem negligenciar o ensino da palavra da verdade, enfatizando o amor e a fidelidade de Deus.


Desde pequenino a criança deve ser ensinada a respeitar as autoridades, e é através dos pais que a criança será exercitada quanto à submissão a autoridade. Através dos irmãos, avós e tios a criança aprenderá o respeito e o convívio. Como os amigos, professores, vizinhos e estranhos a criança aprenderá as relações com o mundo.


E quanto ao evangelho? O que a bíblia recomenda? Lemos em Deuteronômio o seguinte: “E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te” ( Dt 6:7 ). Sobre o caminho da vida a criança deve ser instruída em todo tempo, ou seja, em casa, no caminho, no deitar e no levantar.


A instrução das sagradas ‘letras’ é encargo dos pais! Delegar tal função ao professor da escola dominical não é o recomendado pelas escrituras, além do mais, restringe o tempo de ensino acerca de Cristo a uma vez por semana, por um período de apenas uma hora. Totalmente diferente do que a escritura recomenda: ensino diário.


Os pais precisam ajudar as crianças a compreenderem que todos devem obediência aos pais e a sociedade. A submissão aos pais hoje, é um ensaio e um aprendizado à submissão que será exigido pela sociedade, tanto na escola quanto no trabalho.


Após ser instruído, mesmo que o jovem não queria seguir o evangelho de Cristo, teremos um cidadão comprometido com certos valores sociais.


Um dos problemas pertinente a educação de filhos de cristãos hoje está em misturar educação familiar com igreja. Delegar à igreja a responsabilidade de transmitir valores socioculturais é um grande erro. Quando o jovem cresce e se decepciona com certas pessoas dentro da instituição, acaba se afastando da igreja e ao mesmo tempo rebela-se contra todo e qualquer tipo de valores sociais.


Quando os pais estão cônscios de que não geram filhos para Deus, se aplicam mais na educação e evangelização dos filhos. Também não se desesperam quando virem que seus rebentos não estão com vontade de ir à igreja. Não se sentirão culpados ou responsáveis por seus filhos quando eles não acatarem algumas questões institucionais.


É preciso educar os filhos através do ensino da palavra de Deus, porém, sem esquecer-se de transmitir e inculcar valores sociais. Na educação está inserido a conversa, a brincadeira, a repreensão, o alerta, etc. Permita aos filhos vivenciarem todas as fases da vida, desde a meninice, a adolescência e a juventude.


Mas, o que fazer quando os filhos se desviam da igreja? Em primeiro lugar é necessário distinguir se os filhos se desviaram do evangelho ou se distanciaram de uma determinada instituição.


Desconhecer princípios elementares do evangelho leva os pais a confundirem o que é ser filho de Deus com o pertencer a uma determinada igreja. Se um filho deixou de ser assíduo na igreja, não deve ser rotulado de desviado, ou que está a passos largos para o inferno, etc.


Se uma pessoa professa a verdade do evangelho conforme diz as escrituras, isto significa que não é um desviado, antes deve ser alertado somente quanto à necessidade de se congregar. Talvez seja necessário que os pais investiguem o motivo pelo qual os seus filhos estão deixando o hábito de reunir-se com outros cristãos.


Agora, se o filho não professa a verdade do evangelho e continua congregando por habito, a condição dele diante de Deus é preocupante. O que ele sabe acerca do evangelho? Ele professa a fé do evangelho? Se a resposta é negativa, é necessário anunciar-lhe a verdade do evangelho, para que ele creia e venha a ser salvo, e não somente um freqüentador de igreja.

Autor :Jussara e Crispim
Fonte: http://www.estudobiblico.org/licoes-biblicas/analise-biblica/licoes/703-pais-filhos-e-a-igreja
...

sexta-feira, 26 de abril de 2013

"No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos noss..." @ Igreja Batista Aliança [pic]: http://4sq.com/11KMcbZ #foursquare

quinta-feira, 28 de março de 2013

Inglês corneta Neymar: 'Justin Bieber do futebol. Brilhante no YouTube'


Joey Barton já é praticamente um especialista em Neymar e seleção brasileira. O sempre polêmico meia inglês, portanto, não perderia a grande oportunidade que foi o empate por 1 a 1 com a Rússia, em amistoso disputado nesta segunda-feira, no Stamford Bridge, em Londres. O atacante do Santos acabou o confronto novamente como um dos alvos do jogador do Olympique de Marselha.

Em seu perfil no Twitter com mais de dois milhões de seguidores, Barton comparou o brasileiro a um astro internacional com alta dose de ironia.

- Neymar é o Justin Bieber do futebol. Brilhante no YouTube, mas um xixi de gato na realidade - afirmou, deixando claro com uma expressão inglesa que ele não merece os elogios que recebe dos críticos.

- Neymar realmente tem sido um dos jogadores mais animados do Brasil hoje. Mas as pessoas deveriam parar de falar sobre. Ele não está na mesma estratosfera de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo. É incrível o que alguns vídeos decentes no YouTube podem conseguir. Eu vou ter que ficar fazendo algumas embaixadinhas no meu jardim - prosseguiu.

Um torcedor chegou a contestá-lo afirmando que com 21 anos nem o argentino tampouco o português empolgavam tanto como Neymar. Barton foi sucinto:

- Você está falando sério?

A seleção brasileira, que buscou o empate através do gol de Fred, aos 44 minutos do segundo tempo, também não escapou da corneta de Barton.

- Brasil simplesmente não é mais brasileiro. É como o Harlem Globetrotters, apenas viajando pelo dinheiro - disse, citando o famoso time de exibição de basquete americano.

Apenas o atacante Hulk, que entrou na etapa final e iniciou a jogada da igualdade, recebeu elogios.

- Hulk é um bom jogador. Mudou o jogo quando entrou... - encerrou.

Por:
http://www.paixaocanarinha.com.br/ingles_corneta_neymar_039_justin_bieber_do_futebol_brilhante_no_youtube_039-noticias_da_selecao_brasileira-ispyp-739577.htm

sábado, 23 de março de 2013

Cortes de carne de boi: veja de onde vem cada pedaço (picanha, alcatra, costela)

Cortes de Carne de Boi

O boi permite 21 tipos de cortes entre os considerados de “primeira” e os de “segunda”. Essas qualificações são geradas pelos próprios cortes; os valores nutritivos são os mesmos (em geral).

Sua carne é boa fonte de proteína, fósforo, ferro e de vitaminas do complexo B. A idade do gado abatido influi no sabor e na textura da carne, embora a maciez dependa muito do corte.

Quando alguém lhe convidar para comer uma carne de vitela, aceite imediatamente (a não ser que tenha ‘dó’). A vitela é o boi com menos de 6 meses de idade. Sua carne é mais tenra, de cor clara e pouco gordurosa. Tem as mesmas propriedades nutritivas que a carne de boi, porém é mais fácil de digerir. E como tem menos gordura, é aconselhada nas dietas de emagrecimento.

Não compre carne em açougues não muito confiáveis. Procure ser cliente de um estabelecimento bom, limpo e onde o açougueiro não seja apenas um cortador de carne, mas um profissional competente. Alguém que saiba cortar a carne, confirme as especificações exigidas e que, na falta daquela que você procura, possa orientá-la, com segurança, sobre outro tipo que possa substituí-la, sem problemas.

Antes de ser posta à venda, a carne bovina sofre um processo de maturação, que a torna mais macia e tenra.

Dicas para comprar:

Na hora de comprar a carne, preste atenção nas seguintes características:

* consistência firme e compacta;

* cor vermelho-brilhante;

* a gordura deve ser branca ou amarelo-pálida. Se for muito amarela, é sinal que o animal era velho e, portanto, que a carne é dura.

* comprando de um fornecedor idôneo, você se poupará de receber desagradáveis ‘contra-pesos’, que nada têm a ver com o que está sendo pago.

* a chamada carne de primeira é retirada de uma parte do animal que é menos exercitada, assim como a de segunda provém das mais exercitadas, tendo uma textura mais desenvolvida. Ao comprar qualquer um dos tipos, observe se ela está firme e brilhante, com aspecto saudável e levemente úmida.

Quantidade por pessoa:

* Carne sem osso – 200 gramas por pessoa.

* Carne com osso – 300 gramas por pessoa.

* Para o churrasco a quantidade aumenta para 500 a 600 gramas se for servida apenas a carne ou 400 a 500 gramas se for acompanhada por saladas, pães ou mandiocas.

Finalidade dos cortes:

No mercado existem cortes limpos, embalados a vácuo, e congelados, que podem ser conservados até por 90 dias, sem risco de contaminação. É o tipo chamado de carne resfriada. Às vezes sua cor é escura, o que é normal devido ao vácuo.

Há cortes para diferentes destinações. Para melhorar sua arte culinária. Ponha o pedaço certo em sua receita.

* Para assar: bisteca com osso, miolo de alcatra, picanha, maminha, coxão mole, lagarto, patinho e ponta-de-costela.

* Para refogar: cupim, acém, bisteca, patinho, fraldinha, capa de filé e filé de costela.

* Para ensopar: além dos que servem para refogar, entram rabo, tutano, ponta de agulha, aba de filé, peito e carne moída.

* Para fritar: contrafilé, patinho, coxão mole, alcatra e filé mignon.

Principais cortes:

* Acém: carne de “segunda”, relativamente magra, que pode entrar em cozidos, assados, refogados, ou preparada em bifes ou moída.

* Alcatra: de “primeira”, de fibras macias, uma das campeãs na preferência dos brasileiros, esta carne é, também, uma das mais nobres. Da peça inteira da alcatra, localizada no traseiro do boi, saem outros cortes igualmente apreciados, como a picanha e a maminha. É usada principalmente para fazer bifes, mas faz igual sucesso em assados e cozidos de panela.

* Bisteca: também conhecida como chuleta. É arredondada, intercalada por gordura amarelo-clara. Pode vir com ou sem osso, é considerada uma das mais saborosas do boi e pode ser servida assada, frita ou grelhada.

* Contra Filé: muito macio, é magro mas sua parte externa mostra grossa camada de gordura. Fica ótimo assado e frito. Com ele é feito o tradicional bife à cavalo (com ovo frito). Corte nobre do lombo do boi, fica ao lado do filé mignon.

* Costela: cercada de osso e gordura, é apropriada tanto para cozidos como para assados. É fibrosa e requer preparo lento, que pode chegar a 12 horas no “bafo” da churrasqueira, ou seja, longe da brasa.

* Coxão duro ou ponta de alcatra: é um pedaço com fibras grossas, mas menos macia que as do coxão mole. Mas de “primeira”, como esse. Indicada principalmente para sopas, ensopados e outras receitas que exigem cozimento lento, capaz de lhe amaciar. Vem do músculo traseiro do boi.

* Coxão mole: também chamada de chã de dentro, é constituído por fibras macias e curtas, com gordura e nervos, carne macia mas não muito suculenta. Durante muito tempo, foi sinônimo de carne para bife. Pode ser feita à milanesa, enrolada, assada ou na forma de escalopes.

* Cupim: é a corcova do boi zebu. Nele, fibras e gordura se entrelaçam. É saboroso e muito usado em churrasco. Mas exige um longo tempo de cozimento.

* Filé mignon: é extremamente macio, tenro e suculento, mas não muito saboroso, sempre pede um bom molho por acompanhamento. Peso médio: 2 quilos. Ideal para bifes altos, servidos ao ponto ou mal passados. Da França vêm dois cortes feitos com este pedaço: turnedô, pedaços mais grossos, e medalhão, mais finos. Fica ao longo do dorso do boi.

* Fraldinha: composta pela parede do abdômen do animal, tem fibras longas, nervos e gorduras. Já foi considerada carne de “segunda”. Muito consumida em churrascos (fatias finas que vão à grelha), espetinhos, assados de panela e receitas como estrogonofe. Pequena, macia e suculenta. Localizada na lateral do boi.

* Lagarto: de “primeira”, formado por fibras longas e magras, com uma parte externa gordurosa. Também conhecido como tatu. Carne dura, nada suculenta, com formato arredondado. Em assados, deve ser bem passado e pode ganhar recheios de farofa, cenoura ou lingüiça. Cru, cortado em fatias finíssimas, faz sucesso como carpaccio.

* Maminha da alcatra: Tirada da peça inteira da alcatra, é muito macia e suculenta, naturalmente, de “primeira”. Boa para assados e churrascos em geral. Pesa, em média, 2 kg.

* Músculo: às vezes considerado de “segunda”, às vezes de “terceira”. Cortado com osso toma o nome de osso-buco, muito valorizado na cozinha, principalmente a italiana. Ideal para sopas, caldos e cozidos. Deve ficar no fogo até amaciar. Desfiado pode ser usado também em saladas frias. É de ótimo sabor.

* Patinho: corte de “primeira”, com fibras macias. Ao fazer bifes corte-o no sentido das fibras para que não endureçam. Também usado picadinho e cozido como o prato húngaro “goulash”.

* Peito: dele é feito o pastrame, um temperado servido em fatias finíssimas, como o carpaccio. Entre outras receitas, dá origem ao “puchero”, cozido tradicional na Argentina. Exige muito tempo de cozimento por causa da grande quantidade de músculos e fibras. É de “segunda”.

* Picanha: inteira ou em bifes, essa carne é muito macia e suculenta e não pode faltar na grelha de um bom churrasco. Mas também pode ser preparada no forno, frita ou cozida. A parte mais tenra é a pontinha. Ao comprá-la, não se deixe enrolar. Ela deve ter não mais de 25 centímetros de comprimento e o peso ideal é de 1 quilo a 1.500 gramas, além de possuir um aspecto “marmorizado”, ou seja, entremeado por gordura. Se pesar mais você estará pagando uma parte em coxão duro e a peça não terá maciez uniforme.

* Rabo: compõe-se de diversos ossos recobertos com carne gordurosa e, como toda carne junto ao osso, bastante saboroso. É principal integrante do prato típico “rabada”.

Palavras relacionadas a este artigo:
como tratar rabada de boi
picanha em pedaco
picanha é carne de que
peso da picanha
peso da capa da picanha

Ver mais :

http://www.presenteparahomem.com.br/cortes-de-carne-de-boi-veja-de-onde-vem-cada-pedaco-picanha-alcatra-costela/

terça-feira, 19 de março de 2013

Cuidado com a língua! Palavras podem ser bênção e maldição !

A língua é um pequeno orgão na boca, cujo, e objeto de estudos ciêntificos no campo da medicina e psiquiatria. Através da língua nos falamos, e as palavras e um mundo maravilhoso de comunicação. As palavras constrói mundos, projetos, levando ânimo, casamentos são arranjados, filhos são educados, constrói belas amizades, canções, poemas, etc.
Através da palavra abêncoamos as pessoas, os filhos, os amigos, etc.
Entretanto, a bíblia nos mostra que a palavra pode ser usada de forma inapropriada, fora de tempo, com raiva, e, ao invés de construir, ela destrói, ao invés de fortalecer laços ela separa e desune, ao invés de aproximar as pessoas, ela afasta. E quando deveria ser canal de benção ela pode ser fonte de maldição, ministérios entra em ruinas, casamento naufraga, orações ficam sem resposta, corações ficam magoados, etc.

Vamos meditar na palavra de Deus !

01 - Fale só a verdade ! Ef. 4;25

O inimigo de nossas almas tem ganhado partido quando acha espaço em meio a mentira. Cultive as caracteristicas de um verdadeiro cristão.

2º) Cuidado com o falar em excesso: "No muito falar não falta transgressão, mas o que modera os lábios é prudente" (Pv 10.19). É necessário haver um controle de nossas palavras. Não podemos sair por aí falando de tudo. A Bíblia diz que há momentos de falar e momento de ficar calado. Não banalize a palavra. Não fique falando, falando e falando a todo o momento, a toda hora, com seu filho, com seu cônjuge. Quando falar, procure as palavras proveitosas para a edificação e que glorifica a Cristo.

3º) Vida ou morte ou que você prefere ?

"A morte e a vida estão no poder da língua" (Pv 18.21).

Palavras boas, curam, palavras trazem alívio, trazem alegria, esperança, conforto, pespectivas, trazem novo ânimo, palavras agradáveis são como favo de mel (Pv 16.24).

As palavras também são poderosas armas usadas pelo inimigo para provocar as discórdias, as lutas, as separações. "A palavra branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira" (Pv 15.1). O crente é chamado para falar de vida e não de morte, falar das virtudes do próximo e não de seus defeitos e através da palavra "confessar uns aos outros dos seus pecados" (Tg 5.16) para que sejamos curados. 4º) Não ceda ao impulso de falar, de responder, de reagir imediatamente. Busque a direção do Espírito:

"Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar" (Tg 1.19). Entretanto temos visto nas igrejas, pessoas sempre prontas a falarem, falarem,...sempre falarem.

Nossa primeira reação diante de algo que nos ofendeu ou nos magoou é reagir imediatamente com palavras duras. É muito comum depois nos arrependermos por não termos permanecido calados. A coisa é tão séria que a Bíblia chega a dizer que "maior é aquele que domina o seu espírito, do que o que toma uma cidade" (Pv 16.32). Mas não tem jeito: ou o Espírito nos domina ou seremos dominados pelo nosso gênio. E depois agüente as conseqüências. Por isso, não fale nada que não edifique. Não fale nada pela carne. Não fale nada quando estiver com raiva. Não resolva os problemas no calor da ira. Seja sábio e não tolo. Não fale nada que você venha a se arrepender mais tarde. Não fale nada que diminua o seu irmão. Não fale nada fora de hora.

Uma pessoa foi convidado para ensinar na EETAD, aqui em Londres. Esse jovem tinha por hábito voar na imaginação teológica trazendo pareceres meramente humano e sem consistencia bíblica, quando questionei um determinado assunto, ele enraiveceu chegando ao ponto de pedir pra mim calar-se em classe. Isso mesmo ! a mim que que tinha quatro anos na frente da escola e mais de 15 no ministério de ensino, foi um tremendo constragimento que contaminou a classe. Vigia sempre o seu temperamento.

Se tiver de exortar ou corrigir, fale chorando, fale com dor, fale com amor, fale com temperança, mas não fale nada além do necessário. Não banalize a palavra, seja comedido no falar, fale com sabedoria. Se você fala pouco e com discrição, vão lhe procurar para ouvi-lo. Se você fala muito, se você fica repetindo a todo momento sempre as mesmas coisas, você está banalizando a palavra. As pessoas vão te escutar, mas não vão te ouvir. Deus criou o mundo pela palavra. As palavras têm poder: podem criar mas também podem destruir. Quantos casamentos e quantas igrejas sofrem pelo nosso mau uso da palavra (sebemos muito bém que o inimigo esta ao derredor, mas em muitos casos o culpado por tamanha destruição e a falta de vigilança no que diz). Palavra é para ser benção. Quando falar, fale só para edificação !



Deus abêncõem ricamente e continuem buscando crescer na graça e no conhecimento do Senhor Jesus.

Fque na paz do Senhor

Londres 19-06-009

Stanfor hill

ministério José Messias

ESCRITO POR MINISTÉRIO JOSÉ MESSIAS

domingo, 17 de março de 2013

ACABE COM A MURMURAÇÃO OU ELA ACABARÁ COM VOCE

• Murmurar significa: queixar-se, lastimar-se, falar mal, apontar falta, fazer mau juízo de alguém ou de alguma coisa.
• O perfil do murmurador é o perfil de uma pessoa sem fé, altamente insegura.
• Uma pessoa cheia de dúvidas vai murmurar em qualquer situação. Uma pessoa cheia de fé vai louvar o senhor em qualquer situação.
• A murmuração é pior que o vicio do fumo e da bebida, mas se aceita tranquilamente o murmurador, porque aparentemente o murmurador é inofensivo.
• Outra característica do murmurador é que ele não se nega a realizar as suas tarefas ou cumprir os seus deveres, mostra-se até mais trabalhador do que os outros, o problema reside no fato dela fazer reclamando. Foi por isso que o apostolo Paulo disse: “fazei tudo sem murmuração!”
• O murmurador encontra defeito em tudo. Se o pastor prega apenas quinze minutos ta sem repertório! Se prega uma hora quer matar a gente! Se ponha outro para pregar, ele ganha pra isso! Quando não coloca ninguém, só pensa nele. Não agüento mais ouvir estas mesmas musicas. Se coloca musica nova, não sei cantar. Se falar de oferta é dinheirista, se não fala é medroso e não quer que a gente prospere. Nessa igreja não tem amor. A quanto tempo ninguém me visita.
• O murmurado começa a murmurar primeiro em seu coração e depois com a sua boca (Mateus 12:34).
• Murmuração nao depende das circunstancias, porque é um estilo de vida, uma cultura criada, um estado de espírito.
• Murmuração é uma doença emocional muito grave. A murmuração leva a pessoa a ser crítica demais e o critico semeia dissensão entre os irmão, o que é uma das sete abominações para Deus (Provérbios 6:16-19).
• No mundo as pessoas são estimuladas a reclamar, fazer greves, reivindicar, mas no reino de Deus o mandamento é outro: Fazer tudo sem murmurações nem contendas.

PORQUE AS PESSOAS MURMURAM?

1. Deixam de vigiar.
• O diabo criará situações para fazer você murmurar.
• O diabo coloca uma venda nos olhos da pessoa para ela não ver o que é bom.
2. As pessoas murmuram porque perderam o amor.
3. As pessoas murmuram porque são oprimidas por demônios.
• O demônio da insatisfação.
• Pessoa eximia em criticar o culto e os pastores!
4. O murmurador não vai morar no céu. Lá vai a prostituta e o ladrão salvo morar, mas não vimos na Bíblia nem um caso de murmurador salvo.
5. Todo murmurador é mentiroso

COMO LEVAR UMA VIDA SEM MURMURAÇÃO

• Devemos transformar a nossa mente (Romanos 12:2).
• Da próxima vez que você for murmurar, experimente fazer aquilo com amor!
• Não bote lenha na fogueira do murmurador, mude de assunto.
• O murmurador não se dá conta de que é tão chato, então é preciso alguém chegar pra ele com amor e carinho e dizer o quanto aquilo o prejudica.
• Quando voce sabe que uma pessoa é murmuradora, não de muita atenção as suas murmurações.
• Cuidado ao relacionar-se com um murmurador.
• Lembre-se o deixa-se de murmurar ou morre no deserto.

A FIGURA CONTROVERTIDA DO PASTOR:

Se o pastor é dinâmico, ele é ativista.

Se for calmo, não tem visão ou é preguiçoso.

Se o pastor é exigente, ele é intolerante e ditador.

Se não exige, ele é displicente e negligente com o ministério.

Se o pastor visita, é porque gosta de incomodar o sossego dos outros.

Se não visita, é irresponsável e descuidado com as ovelhas.

Se o pastor se veste bem, ele é vaidoso, extravagante ou janota. Veste-se mal, ele é relaxado e tem mau gosto.

Se o pastor anda sorrindo, ele é irreverente e gaiato.

Se não solta um sorriso, é porque anda estressado.

Se o pastor fica com os jovens, é imaturo e não se coloca no seu lugar.

Se com os adultos, é antiquado, ultrapassado e cafona.

Se ficar com as crianças, é infantil e precisa amadurecer.

Se procurar atualizar-se, ele é mundano e tem mentalidade secular.

Se não se atualiza, é mente fechada e não quer se reciclar.

Se o pastor cuida da família, é descuidado com a igreja.

Se cuidar da igreja, é descuidado com a família.

Se pregar muito tempo, é prolixo, cansativo, metido a intelectual.

Se pregar pouco, é que não tem mensagem, nem da internet.

Se procurar agradar a todos, é sem personalidade e interesseiro.

Se for positivo e procura corrigir e disciplinar o rebanho, é porque é parcial e só disciplina os fracos.

Se realizar programas novos, é que só quer viver de promoções e ôba-ôba!

Se não realiza, é que não tem idéias novas.

Se o pastor é alegre, é sem linha e deveria ter mais compostura.

Se chorar no púlpito, é chorão, sensível demais e não tem domínio próprio.

Se o pastor organiza trabalhos e campanhas, é explorador do rebanho.

Se não organiza, é que não dá trabalho ao rebanho e não tem criatividade.

Se o pastor fala alto, é que não tem argumentos para convencer.

Se falar baixo, é um coitado, tímido, e nem voz tem.

Se o pastor prega nas ruas, é porque barateia o evangelho.

Se só fica na igreja, está acomodado nas quatro paredes do templo.

Se o pastor faz amizades no rebanho, é que tem panelinha e faz acepção de pessoas.

Se ora muito, é porque não tem o que fazer ou está querendo aparecer.

Se orar pouco, é um pastor relaxado, irresponsável, preguiçoso e carnal.

Se o culto termina cedo, ele é frio e não deixa o Espírito operar na Igreja.

Se o culto excede o horário, é irresponsável e impontual.

Se o pastor fala em outras línguas em público, deveria evitar e atentar para a decência e para a ordem do culto.

Se não fala, deixou de ser renovado ou perdeu o dom.

Se o sermão pastoral tem dez pontos, é chato e cansativo.

Se o sermão tem apenas dois pontos, ele não tem conhecimento bíblico.

Se ao pregar trata de necessidades da congregação, está expondo as pessoas.

Se faltar a algum culto, é porque está pensando em deixar a igreja.

Se nunca falta a qualquer culto, vai terminar um dia no psiquiatra.

Se o pastor prospera financeiramente, deve estar roubando da Igreja.

Se não prospera, está em pecado ou tem pouca fé.

Texto: Filipenses 2:14 – II Cor 10:10
Por
cristianonetto.com.br





sexta-feira, 8 de março de 2013

História do 8 de março


No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).





Objetivo da Data

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.



Conquistas das Mulheres Brasileiras

Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.



Marcos das Conquistas das Mulheres na História

- 1788 - o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.

- 1840 - Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos.

- 1859 - surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres.

- 1862 - durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia.

- 1865 - na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs.

- 1866 - No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas

- 1869 - é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres

- 1870 - Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina.

- 1874 - criada no Japão a primeira escola normal para moças

- 1878 - criada na Rússia uma Universidade Feminina

- 1901 - o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres



Fonte: suapesquisa.com

terça-feira, 5 de março de 2013

A Consciência


A consciência revela o que cada homem acredita que “deve” ser (Atos 23:1,24; 24:16; 26:9-11). É indicativo de seu sentimento interno sobre o moral correto, do ideal nobre pelo qual sente que deve lutar. É o seu estímulo em direção à sua concepção de alturas morais, e seus freios contra fazer o que acredita ser errado. A consciência não é o padrão final da verdade, porque isso deve vir de Deus através da revelação; mas a consciência para Deus diz a atitude do indivíduo em relação a Deus. É por isso que o homem tem que fazer o que ele verdadeiramente acredita que Deus quer que ele faça (Romanos 14).

Enquanto alguém tenta fazer o que acredita que Deus quer que faça, ➊ ele pode ter um conceito errôneo do que Deus deseja (que era o caso de Saulo, ao perseguir os cristãos), ou ➋ ele pode, por causa da fraqueza da carne, agir de modo contrário às suas intenções boas (Romanos 7:22 em diante). Neste caso, ele fica infeliz por causa de sua consciência – humilhado diante de Deus, e reconhecedor da sua necessidade do perdão em Cristo. Somos todos criaturas imperfeitas, e devemos, às vezes, sentir esta aflição.

Mas e aqueles que participam, aceitam e apóiam aquilo que é contrário à palavra de Deus ou que não tem nenhuma autorização divina? Podem não saber que é errado e podem estar agindo com boa consciência diante de Deus. Neste caso, informações adicionais sobre a palavra de Deus seriam bem aceitas. Porque querem verdadeiramente fazer sua vontade, abrirão sua Bíblias com alegria, investigarão e mudarão sua conduta para encaixar-se na evidência. Desta maneira eles mantêm uma boa consciência diante de Deus (1 Pedro 3:21).

Entretanto, infelizmente, nós devemos reconhecer que há aqueles que não têm tal caráter nobre (Atos 17:11). Ficam irritados se sua prática for questionada. Amam o elogio dos homens mais do que o elogio de Deus (João 12:42-43). Se sua consciência para Deus continuar a funcionar, conduzem a uma vida infeliz, lutando com si, oprimidos com os sentimentos de culpa. Indesejável – sim, mas ainda há esperança enquanto a batalha acontece. Como é terrivelmente triste ver alguém cuja consciência está cauterizada (1 Timóteo 4:2), e que pode rejeitar Deus sem receio algum.

–por Robert Turner

Inferno - Existe um inferno de fogo?


O Inferno na Bíblia

A palavra inferno vem do latim inferii e significa lugar inferior. A idéia de inferno como um lugar de fogo para onde vão almas incorpóreas condenadas não se encontra nas Escrituras, apesar de aplicações que se fazem de textos simbólicos e parábolas.

Também a palavra inferno não faz parte do texto original da Bíblia como acontece com as palavras evangelho, batismo e outras que estão na Palavra de Deus.

A palavra inferno foi colocada nas traduções em português para substituir cinco outras palavras com significado completamente diferente do conceito religioso popular de inferno. Isso ocorreu devido à crença que o tradutor nutria previamente e que o influenciou a colocar a palavra inferno nas traduções que fez.

Algumas Bíblias antigas trazem inferno em I Cor 15:55 mas algumas modernas como a Almeida Atualizada trás “morte”, que é o correto. O mesmo ocorre em Apoc 20:13 onde se lia “a morte e o inferno”, encontra-se agora, “a morte e o além”, mas a palavra lá é hades (grego) e significa “sepultura”.

A doutrina do inferno é de origem grega e romana e as pessoas são induzidas a crer nela pela formação religiosa anterior que receberem além das falhas das traduções que geralmente usam e fortalecem um pensamento anti-bíblico.
As cinco palavras que foram erroneamente traduzidas por “inferno” são:

1. GEENA (hebraico) que é uma forma simplificada da expressão ge (vale) bem (filho) e Hinom (nome da família proprietária da área), ou seja, vale dos filhos de Hinom. Essa palavra se encontra nos evangelhos como em Mateus 5:22, 29 e nada tem a ver com um inferno de fogo eterno. Era um vale onde, no passado, se fazia sacrifícios humanos e se queimavam os corpos de pessoas aos ídolos. O profeta Jeremias profetizou que ali seriam lançados os corpos dos desobedientes e que ali ficariam expostos (Jer. 7:31-34). Nos dias de Jesus o local continuava a ser depósito de animais e lixo em putrefação e os moradores sempre ateavam fogo para consumir os restos ali deixados. Esse lugar Jesus usou para simbolizar o fim trágico que aguarda os desobedientes. Apenas corpos físicos eram consumidos no GEENA por isso que havia bichos nos corpos podres, coisa que almas não têm. Nada a ver com almas num fogo eterno.

2. HADES (grego) usada no NT juntamente com Sheol (hebraico) usada no AT significam “sepultura, lugar dos mortos, morada dos mortos”. Entre outros textos esta palavra (hades) encontra-se em Apoc. 20:13. Aqui o inferno (na verdade a sepultura) é o lugar onde estão os mortos, pois ele mesmo, o inferno=sepultura, é lançado no lago de fogo onde é destruído (Apoc. 20:14) pois a sepultura é o símbolo da morte que Jesus destruiu. Sheol, seu equivalente hebraico, também significa sepultura, sendo equivocadamente traduzida por “inferno”. Em Jó 17:16 declara-se que os mortos ficam no pó e em Isa. 14:9-11 se declara que o inferno (sheol) é um lugar onde os bichos comem os cadáveres. Também nada a ver com lugar de fogo eterno. Aliás, ainda em Apoc. 20:10 se diz que o próprio Diabo somente será lançado no lago de fogo, que se forma quando Jesus volta no Juízo Final, quando Deus derrama fogo do céu. No verso 14 diz que o próprio inferno (sepultura) também é lançado nesse final lago de fogo. Ao final explicaremos sobre o fogo ser “eterno”.

3. TANATO (grego). Esta palavra ocorre em vários lugares, mas é traduzida em I Cor. 15:55 como inferno. Na realidade a falha de tradução foi tão clara que nem os que crêem no inferno tradicional mantiveram o erro, e corrigiram na Almeida Atualizada. Lá diz “onde está ó morte (tanato) a tua vitória onde está ó inferno (tanato=morte) o teu aguilhão?” O verso 54, anterior, diz que a morte (inferno) perde a vitória e o aguilhão porque Jesus nos dá a imortalidade. Também não tem nada a ver com um lugar de fogo onde as pessoas ficam queimando.

4. A quinta e última palavra é TÀRTAROS (lugar de trevas). Esta palavra ocorre na Bíblia apenas uma vez em II Pedro 2:4. O próprio texto declara que os anjos foram expulsos da presença de Deus, ou seja, onde está a verdadeira luz, para o exterior que são as trevas, privados da luz do céu onde moravam e sem ela neles uma vez que pecaram. Conforme diz o texto esse “inferno” também não tem fogo, somente a escuridão da ausência de Deus. Além do mais, em harmonia com Apoc, 20:9,10,14 eles estão aguardando o Juízo Final quando, somente então, serão lançados no Lago de Fogo produzido pelo fogo que desce do Céu e que os destrói juntamente com os que rejeitaram a salvação de Cristo. Esta palavra, a última, também nada tem a ver com o inferno tradicional.

Surge então a pergunta: e o fogo eterno que diz Apoc. 20 se formará depois do milênio com o fogo e enxofre que desce do céu?

A expressão eterno é “aion” (grego) que significa uma duração relativa ao que se refere. Pode estar falando que é eterno sem fim ou que é eterno “enquanto dura” como disse certo poeta. Ou seja, precisamos examinar o contexto para saber se é eterno sem fim ou eterno até que acabe.

Em Apoc. 20:10 diz que serão atormentados pelos séculos dos séculos (“aion ton aion” em grego= para sempre, eternamente conforme algumas traduções). Mas esse “pelos séculos dos séculos é previamente explicado no verso anterior, o v. 9 que diz que o fogo que desceu “do céu os CONSUMIU”, logo, serão atormentados eternamente até que toda a substância seja consumida, e seu resultado, a destruição, será eterna, pois o fumo, ou fumaça que disso resultar estará no espaço “para sempre”, isto é, até que tudo que pode ser queimado, acabe.

Mas, além do significado gramatical de “eterno” e da explicação de Apoc. v. 9, há muitas passagens declarando que o fogo que destrói os maus nos últimos dias é um eterno até que consuma tudo e somente deixe as cinzas. Por exemplo, Judas 6,7 diz de forma clara que os anjos estão em trevas esperando o Juízo (igual diz Pedro como já vimos) em “algemas ETERNAS” (aion) . Ora, as algemas eternas serão tiradas quando chegar o Juízo e a condenação final, e a sentença for decretada., assim, a algema é eterna somente até que se cumpra o objetivo e sejam consumidos.

O verso 7 diz que o “exemplo do fogo eterno” é o da punição que caiu sobre Sodoma e Gomorra e as cidades vizinhas. Qual foi a punição de Sodoma e Gomorra? Estão queimando até hoje? A Bíblia diz que não, veja Gênesis 19:24-29. O apóstolo Pedro declara que Sodoma e Gomorra se tornaram em “cinzas” (II Pedro 2:6) para mostrar o exemplo do que acontecerá aos que vivem impiamente. Portanto, o fogo é eterno até consumir tudo neste planeta e Deus criar aqui um Novo céu e uma Nova Terra. Apoc. 21:1, 5 diz que Deus, então, fará novas todas as coisas.
Deus é amor, como deixaria alguém ficar por milênios, pela eternidade afora, se queimando em dores inimagináveis por pecados de uma vida passageira. Ele não prometeu isso, mas disse que o homem que pecasse, morreria. Se comesse da árvore da Ciência do Bem e do Mal morreria.
Para finalizar a Bíblia diz que TODOS os ímpios se tornarão cinzas no dia do Senhor. (Malaquias 4:1-3) o que concorda plenamente com o dizer de Apoc. 20:9; II Pedro 2:6 entre outras passagens. E o próprio Satanás será consumido, o que concorda com Apoc 20:9. Veja Ezequiel 28:14-19.

Mas, e a parábola do rico e Lázaro? (Lucas 16:19-31). O nome do relato já diz é uma “parábola” onde não se vai para o céu, mas para o simbólico “seio Abraão”, também não se trata de “almas” no fogo mas de corpo físico com dedo, língua e que sente calor e pede água para matar a sede, fisiologia de corpo vivo que está sendo queimado, como ocorrerá no Juízo Final. Também deixa clara, a parábola que o mendigo morto e salvo foi levado “pelos anjos”, o que somente ocorrerá no futuro, na volta de Jesus (Veja I Tessalonicenses 4:13-17 entre outras passagens). E quanto a recompensa dos salvos (como no caso do mendigo da parábola) ou dos Perdidos (representado pelo rico da parábola) a mesma parábola declara que ambas as situações somente ocorrerão quando a chegar a ressurreição, que é a única forma (como vimos na passagem anterior) de se voltar de entre os mortos seja para a vida, seja para a morte eterna. (verso 32 e João 5:28, 29).
Finalmente, o apóstolo Paulo ensina que mesmo os que morreram em Cristo não estão salvos a não ser quando ocorrer a ressurreição. Eles não vão para o céu ou um lugar de tormento ao morrerem. Isso somente ocorrerá com a final destruição dos ímpios na volta de Jesus. Também não vão como almas sem corpo. A Bíblia ensina que se não houver ressurreição “naquele dia”, todos os que morreram em Cristo, mesmo eles, estarão perdidos. Leia I Coríntios 15:16-18.
Em Ezequiel 18:23, 32 Deus declara que não tem prazer na MORTE do ímpio, não se compraz em seu tormento eterno. “Porque não tomo prazer na morte do que morre, diz o Senhor Jeová, convertei-vos, pois e vivei.”

Perder a salvação, sofrer “conforme as suas obras” e receber a morte e o esquecimento eterno é a maior punição que Deus pode dar a alguém. Sadismo é se deleitar na dor prolongada de alguém. Deus não se deleita nem mesmo no ato da morte quanto mais na contemplação eterna de alguém em infinitas agonias. Graças a Deus que sua Palavra nos informa: “não tenho prazer na morte do que morre” mesmo que seja ímpio. A extinção é a pena máxima.
Graças a Deus pois Ele é amor!


Pr Demóstenes Neves da Silva
SALT/NE.novembro/2002

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Uma só carne.

A dificuldade maior em entender esse texto, é porque muitos têm um conceito sobre vida conjugal que estão focados no fato que: experimentar a felicidade conjugal é um estado de ser intenso em função das atitudes da pessoa em corresponder cem por cento de todas as expectativas relacionadas ao casamento.

Todos querem e desejam a pessoa certa, mas não entendem que precisam ser a pessoa certa. Esse texto se refere à construção no processo de ser uma só carne; não a um estado de felicidade perpétuo, isso porque, a simples copula dentro do conceito de Paulo, já os tornava uma só carne. “Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse dois numa só carne.” (1Co 6:16).

As interpretações dos sentimentos dos namorados levam a duvidas e questionamentos após o casamento porque muitos pensam que o fato de estar apaixonados é a única razão de estar e permanecer casados. O que chamamos “estar apaixonado” é um estado de graça onde os olhos são abertos para a beleza física, os ouvidos as melodias e poesias, despertando os sentimentos mais nobres e ao mesmo tempo subordinando nossa sexualidade animal (pelo menos no começo) nesse sentido, o amor vence a luxúria, pois estar apaixonado é bem melhor que a sensualidade do prazer da carne pela carne, como um desejo egoísta e mesquinho.

Nenhum sentimento dura para sempre na sua intensidade. A paixão nos leva ao casamento, como uma ignição que faz movimentar a maquina do desejo de esta sempre com a pessoa escolhida todos os momentos da vida, mas a paixão por si não pode se tornar o motor que vai dirigir a vida conjugal, isso porque, a paixão é apenas um sentimento.

Aquela ideia dos finais de filmes “e foram felizes para sempre” está dizendo algo que provavelmente nunca foi e não será a verdade. Conhecimentos princípios e hábitos podem durar sempre, mas os sentimentos vão e vem. O que vem a seguir após a paixão é que vai determinar a ser verdadeiro, mesmo quando deixar de estar apaixonado. Ninguém pode prometer o mesmo sentimento por toda a vida, da mesma forma como não poderia prometer ter dor de cabeça ou fome sempre.

A ideia que estar casada é um estado permanente de felicidade não corresponde com a realidade de ninguém. Cumprir a promessa que fiz com pessoa que escolhi para companheira diante de Deus é que começa o processo de tornar-se uma só carne com ela.

Um casal tomava café da manhã no dia em que completavam Bodas de ouro. Como de costume, ela corta o pão, tira o miolo, passa manteiga, e pensa:“Sempre deixo ao meu esposo a melhor parte do pão, o miolo. Hoje, no nosso aniversário de casamento, vou eu comer essa parte, pois é a que mais gosto, e darei a ele a casca”. Ao oferecer a ele a casca, a reação dele foi de alegria: “Puxa, querida, obrigado por esse presente. A parte do pão que mais gosto de comer é a casca, mas todo o dia deixa você para que você saboreie o melhor que é o miolo.” Eu creio que esse casal alcançou o objetivo de se tornaram uma só carne. Ser uma só carne é ser e desejar sempre o melhor para a pessoa que eu amo.

É o amor que mantém a maquina do casamento ativa; quem suportaria viver a intensidade de uma paixão romântica o resto da vida? O que seria das amizades, do trabalho, do apetite, do sono? Ser uma só carne é aprender a amar, não como mero sentimento fugaz, mas como uma unidade pela graça que os parceiros recebem de Deus de viver com a incoerência do outro. Estar “apaixonado” leva o casal a jurar fidelidade um ao outro; o estar “apaixonado” não passa da ignição que deu partida numa intensa viagem de tornarem-se uma só carne.

Por
http://www.minacq.com.br/umasocarne.html


Onde Está Jesus Durante a Tempestade?

O mar da vida às vezes se enfurece com grandes ondas que quase nos engolem. Os ventos atacam com muita força, nos arrastam para longe, para alto-mar onde é mais escuro e longe do socorro de quem está na praia. Ficamos apavorados, e nos perguntamos: Onde está Deus?

O texto de Marcos 6:45-51 conta um episódio fantástico da trajetória de Jesus na terra. Ele despedia a multidão (que viveu o milagre da multiplicação de pães e peixes) e pediu que os doze entrassem em um barco e fossem para a outra banda do mar, onde Ele os encontraria. Despedida a multidão, Jesus subiu o monte para orar. Enquanto isso, os discípulos, já no meio do mar, enfrentavam um forte vento que dificultava a travessia. Gostaria de compartilhar algumas lições contidas nesse trecho.

Jesus ordenou que os discípulos fossem antes dEle para o outro lado do mar (v45). Na nossa caminhada cristã, muitas vezes o Senhor também nos ordena fazer algo sozinhos. Mas por que sozinhos? Primeiro, Ele só irá fazer isso quando já tivermos condições de irmos, quando a Palavra já foi ministrada, quando fomos alimentados o suficiente, quando recebemos a unção. Ele nunca irá mandar alguém despreparado fazer algo sozinho, seria sentenciar essa pessoa à morte. Segundo, Ele nos manda fazer algo sozinhos porque, tendo nos ensinado, é hora de exercer a fé. Os discípulos já tinha recebido autoridade e já tinham visto vários milagres; era hora do exercício.

O vento começou a atacar o barco, deixando os discípulos cansados. Além disso, era noite e eles já estavam muito distantes da praia, pois a Bíblia diz que era tarde quando Jesus foi sozinho orar e os discípulos estavam já no mar. Provavelmente algum deles pensou que iriam morrer ali; outro talvez questionou onde estaria Jesus, se Ele já estaria do outro lado, ou se Ele viria socorrê-los. Pode ser que outros ainda nem se lembraram dEle. Porém – não sei como – Jesus os via de longe (v48). Durante as tempestades que nos assolam muitas vezes pensamos que ninguém está vendo o nosso sofrimento. Nos sentimos sós, abandonados, sem esperança. Mas Jesus nos vê!

Jesus viu que a sua dificuldade para remar era por causa do vento, “que lhes era contrário”. Os ventos que vêm contra nosso barco torna mais difícil vencermos o mar. É o vento que forma as grandes ondas e empurra o barco na direção oposta da que ele precisa ir. É o vento que leva o barco para mais longe da margem. Porém, Jesus via todo o esforço deles.

O Mestre então desce e vai se encontrar com eles andando sobre as águas. Ao invés de se alegrarem e ficarem em paz, o pavor dos discípulos aumentou, pois eles “cuidaram que fosse um fantasma” (v 49). A Bíblia afirma que a intenção de Jesus era “passar-lhes adiante” (v 48)– creio que para ir à outra margem – e pode ser que isso tornou a ideia de ser um fantasma mais viva para eles. Muitas vezes a situação está tão difícil e por causa da falta de fé, sempre achamos que as coisas vão piorar e gritamos desesperados. Não reconhecemos Jesus que passa por nós por causa da nossa inquietação.

Vendo o desespero dos homens, Jesus lhes diz: “Tende bom ânimo, sou eu, não temais” (v 50). E quantas vezes continuamos a gritar mesmo Ele tendo nos dito que é Ele quem está perto? Só mesmo o Senhor para nos dizer isso em tempos como esse. Ele pode nos dizer isso porque ao andar sobre as águas, provou que aquilo que nos traz medo está sob Seus pés. Seja qual for a tormenta ou o vento que atinge o nosso barco, tudo está sob o domínio do Mestre.

E por fim, o vento só se acalmou quando Jesus entrou no barco (v. 50). Não foi quando Ele ainda se aproximava, muito menos quando Ele os viu pelejar, mas quando Ele entrou no barco. Assim, aprendemos que a solução do problema só acontece quando Jesus se revela a nós e traz paz em nosso coração, e quando isso acontece, o vento se acalma automaticamente.

Ele nos diz: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus” (Sl 46:10).

Leonardo



Leonardo é formado em Letras pela UFV-MG, leciona inglês (língua que ama desde criança) em um curso de idiomas, atua como líder de evangelismo e secretário da igreja onde congrega. Ele é louco por Jesus e pela Obra do Espírito Santo. “Viver em Deus sem limites” é o seu foco.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Sexo oral e religião

Sexo oral e religião

"Sou evangélica e queria saber se é errado fazer sexo oral com seu namorado antes do casamento"

Recebi essa pergunta e notei que tenho muitas leitoras religiosas. Sexo e religião têm uma dificuldade imensa em conviver pacificamente, mas isso não é culpa da religião, mas sim das pessoas.
Religião é algo que deve nos fazer sentir seguros, amparados. Acreditar em Deus deve trazer força para que a gente consiga ultrapassar os problemas do dia a dia sentindo que tem alguém dando um empurrãozinho.
As pessoas transformaram Deus em um cara malvado, que deixa todo mundo de castigo se não fazemos o que ele quer. Mas isso é uma coisa que as pessoas criaram não as religiões.
E uma das proibições religiosas é o sexo antes do casamento. O sexo é tratado como um pecado, um problema. Algumas religiões dizem que o sexo deve ser feito apenas para reprodução e depois de casados, então você não vai poder se divertir. Só vai poder transar se quiser ter filhos. E sexo oral é proibido, assim como anal, afinal você não vai engravidar, vai?
Em algum momento as religiões notaram que estavam perdendo adeptos por causa dessas regras e então começaram a deixar as coisas mais maleáveis. Um exemplo disso são os filmes pornôs religiosos, pole dance para Jesus, sex shop para casais religiosos e swing gospel.
Voltando à pergunta: é certo? É errado? Sexo oral antes do casamento pode?
Nada é errado se sua consciência diz que está tudo bem. Você está se respeitando e respeitando as pessoas com quem convive? O que você está fazendo vai machucar, magoar ou prejudicar alguém? Se as respostas forem não, está tudo bem.
O que você deve pensar é se você tem vontade de fazer sexo oral no seu namorado, e isso vale para antes ou depois do casamento. Você só deve fazer o que sente vontade. Não é sua obrigação fazer sexo, assim como não é proibido fazê-lo em nenhum momento da vida.
De que adianta você não fazer nada, mas pensar nisso o dia inteiro? Fantasiar mil coisas, pensar em sexo, sonhar com isso... Tudo isso se compara ao ato. O que importa é o que está dentro de você, e não apenas seus atos. Não adianta interpretar a ingênua no dia a dia e ter a cabeça cheia de "assuntos adultos". Você deve ser quem você é de verdade.
É importante lembrar que qualquer tipo de sexo é sexo — e isso inclui masturbação -, então se você resolver seguir as normas religiosas que sua crença impõe é hora de cortar todas essas coisas da sua vida - incluindo pensar no assunto.
E se você escolher não fazer, seu gato deve respeitar sua decisão. Se ele pressionar dizendo que isso é prova de amor, sabe o que você deve fazer? Provar seu amor a você mesma e dar um belo pé na bunda dele.
A decisão e a consciência são suas. O momento certo é você quem decide; não sou eu, nem a religião. Deus não é um cara mau, ele é uma energia de amor e coisas positivas. E o inferno é a gente quem faz. ;)

Por
Carol Patrocínio | Preliminares

Quais doenças podem ser transmitidas pelo sexo oral?


A resposta para a pergunta que dá título ao texto de hoje é simples: MUITAS! Pode parecer besteira, mas recebo muitos e-mails perguntando se sexo oral transmite doenças e algumas pesquisas comprovam que essa dúvida é recorrente e perigosa.

Em 2010, a ginecologista Maria Eugenia Caetano liderou uma pesquisa sobre sexo e chegou a conclusão de que, naquela época, 59,8% dos universitários nunca usavam camisinha para fazer sexo oral. Ok, isso você já imaginava, porém o dado mais assustador é esse: 48,6% dos bonitinhos que não usam proteção não sabiam dos riscos de contágio.
Combinando os dados dessa pesquisa com uma outra, do mesmo ano, feita na Universidade de Alberta, no Canadá, o assunto fica ainda mais importante. Esse segundo estudo diz que a relação com o sexo oral mudou e tornou-se uma escolha feita pela mulher – antes era apenas uma maneira de agradar o parceiro. Durante o estudo, 30% das mulheres disseram que se sentiam poderosas quando faziam sexo oral.

Ok, tudo lindo, né? Sim, tudo seria lindo se não fosse um outro dado desse estudo: 82% delas não usa preservativo. Se o número de pessoas fazendo sexo oral aumenta e o número de pessoas que não usa preservativo nesse momento não cresce, temos um problema enorme.

Para mudar isso, resolvi te dar uma ajudinha. Cada vez que você for colocar a boca nas áreas baixas de alguém lembre-se dessa listinha abaixo e previna-se!

Quais doenças podem ser transmitidas?
Todas as DSTs podem ser transmitidas pelo sexo oral. As mais comuns são HPV e herpes, que dependem apenas do contato com a pele. Além delas há outras doenças que podem ser transmitidas pelas secreções corporais. Você deve se lembrar delas do tempo de escola, são aquelas que ninguém queria ver as fotos nos livros didáticos: clamídia, gonorreia, sífilis, hepatite e, claro, AIDS.

Cospe ou engole?
Se você decidir que não vai mesmo usar o preservativo e prefere se arriscar, tudo bem. Aí você fica com o dilema de cuspir ou engolir o sêmem, certo? Tantos faz. Eles vai levar as mesmas DSTs para seu corpo. Se você tiver uma afta, corte ou machucadinho na boca, então, os riscos de ser contaminada são enormes.

Como se proteger?
Se você vai fazer sexo oral em um pênis, basta usar preservativo. Você pode escolher com gostinho, cheiro de frutas e sem lubrificante. Os sex shops têm todas essas opções e você pode se divertir bastante em uma visita.

Se você vai fazer sexo oral em uma vagina é um pouco mais complicado, mas nada que faça o esforço não valer a pena – mulheres gostam de receber sexo oral. Você pode cortar a base de uma camisinha, cortar o sentido do comprimento e transforma-la numa folha protetora. Aí é colocar sobre a vagina e divertir-se.

Há quem diga que filmes plásticos – aqueles usados para embalar alimentos – são uma boa opção, mas como a película é muito delicada, as chances de furar são maiores e você ficaria exposto.

Você tem alguma dúvida sobre sexo? Manda para mim no preliminarescomcarol@yahoo.com.br e siga-me no Twitter (@carolpatrocinio).

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O Que Aprendemos da Morte de Crianças Inocentes?

14 de dezembro de 2012, Newtown, Connecticut, EUA (uma pequena cidade no mesmo país e 800 quilômetros distantes da cidade onde eu nasci) - mais uma vez, a crueldade de uma pessoa nos últimos minutos de sua vida deixou pessoas ao redor do mundo lamentando e tentando fazer sentido de algo incompreensível. Nos dias depois de um homem entrar num colégio e tirar a vida de mais de 25 pessoas, 20 delas crianças pequenas e totalmente indefesas, eu, como muitos outros, tenho acompanhado notícias e refletido sobre algumas implicações destes homicídios.

A crueldade naquele colégio não é um argumento contra a existência de Deus, nem contra sua bondade e sabedoria. É comum ouvir alguém citar tais casos para dizer que não seja possível acreditar na existência de um Deus que permitiria tamanho sofrimento de crianças inocentes. Mas, antes de aceitar esse raciocínio, devemos lembrar-nos de alguns fatos expostos aos homens desde antiguidade. O fato de que Deus nos criou à sua imagem (Gênesis 1:27), capazes de amar (1 João 4:7-8), significa que ele nos deu a capacidade de fazer o bem ou fazer o mal (Deuteronômio 30:15). Sem esta liberdade de escolher (e sabemos que a liberdade em todas as esferas é supervalorizada), os seres humanos nada mais seriam que robôs programados para fazer tarefas. Deus nos deu a escolha - amar ou odiar, obedecer ou se rebelar, seguir ou fugir. Não há culpa no Deus que nos deu opções, e sim nas pessoas que escolhem fazer o errado. Os crimes naquele colégio são argumentos a favor da obediência aos princípios que o Senhor revelou nas Escrituras. Alguém que imita o amor de Deus jamais faria o que aquele assassino fez. Oremos pelo consolo das famílias, e busquemos nosso próprio arrependimento de todo e qualquer pensamento contra a vontade do nosso Criador.

Crimes como a matança em Newtown não serão prevenidos com curativos políticos. Com todo o respeito pelo presidente dos EUA, a solução não se encontrará em reuniões de profissionais de psiquiatria e professores em escolas onde é praticamente proibido falar sobre Deus. Embora eu nunca tenha possuído arma de fogo, nem participado de nenhum movimento a favor deste “direito”, também tenho certeza que o problema não será resolvido fazendo novas leis restringindo o acesso às armas. O problema não está no dedo que puxa o gatilho, e sim no coração que contempla o homicídio (Mateus 15:18-19). Uma ferida profunda não será curada com um tratamento superficial.

O problema é que muitos nos EUA, do presidente para baixo, não querem a única resposta verdadeira ao problema: “Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o SENHOR pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus” (Miquéias 6:8). O que valem discursos de um presidente em cultos ecumênicos sobre a proteção de crianças quando os fundamentos da política deste presidente e de muitos outros líderes fazem de tudo para negar a muitas crianças o direito de nascer? Choramos por estas 20 crianças mortas num ato de crueldade inimaginável. Não consigo nem compreender a dor das famílias, e realmente tenho dó de todas elas. Mas choramos pelas outras 4.000 crianças mortas no mesmo dia no mesmo país com a bênção do partido do presidente e de pouco mais de 50% da população norte americana? Se a "Pax Americana" está se acabando, não é por causa de terroristas islâmicas, nem comunistas chineses, é por causa da podridão que vem de dentro. Salomão declarou há 3.000 anos: “A justiça exalta as nações, mas o pecado é o opróbrio dos povos” (Provérbios 14:34).

É triste observar que muitos dos países que imitam e outros que odeiam os EUA compartilham da mesma podridão. O problema não é político, nem econômico, nem militar, nem psicológico, embora pode se refletir em todas estas esferas e outras. O problema do país onde nasci é o mesmo do país onde moro, que é o mesmo do meu próprio coração cada vez que permito um pensamento contrário à perfeição de Deus: o pecado mata! Como precisamos de líderes, e como nós mesmos precisamos ser, como o homem que entrou no templo de Deus e “estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, pecador!” (Lucas 18:13).

–por Dennis Allan

O Presente Perfeito

A cena se repete na virada de todo ano. Em lojas e shoppings ao redor do mundo, nos últimos dias de um ano e os primeiros do próximo, formam-se longas filas para devolução e troca de presentes. Tamanho errado. Não gostou da cor. Já tem um igual. Veio com defeito. Os motivos são diversos, mas as filas nos lembram da dificuldade em achar o presente perfeito.

Quando dias especiais, como aniversários de nascimento ou de casamento, se aproximam, gosto de brincar com a minha mulher sobre o presente que pretendo dar. Já falei inúmeras vezes sobre uma boa furadeira elétrica de 3/8". E como seria a reação dela se eu realmente comprasse este presente? Sei que deve ter uma certa porcentagem da população feminina que acharia legal este presente, mas depois de mais de 30 anos de casamento posso afirmar que a minha mulher não faz parte desta minoria! Todos os meus argumentos entusiasmados sobre a utilidade deste “presente perfeito” seriam refutados com uma simples observação por parte dela: “Pode ser um presente bom para você, mas não é para mim”.

Como que posso escolher o presente perfeito para a minha esposa? Terei de ouvir as dicas que ela dá (e homens, prestem atenção, porque elas dão as dicas, e cabe a nós lembrar delas nas horas certas). Só pelas palavras dela que vou descobrir o perfume certo ou a cor de roupa que ela quer. Para saber como agradar a minha mulher, eu preciso ouvir o que ela diz.

E para saber como agradar a Jesus? A mesma abordagem não seria correta neste caso também? Se eu quiser dar um presente agradável ao Senhor, terei de ouvir as suas palavras!

Quando comparamos as práticas religiosas atuais com a simplicidade do serviço ao Senhor no Novo Testamento, dá para perceber que muitos dos presentes dados ao Senhor não passam de furadeiras que ele nunca pediu. O mundo religioso é dominado por um egoísmo que deixou para trás o conceito de verdadeira adoração e adotou uma filosofia de entretenimento. Pessoas escolhem participar de uma igreja ou outra, não porque a doutrina é bíblica e o serviço a Deus, reverente, mas porque se identificam com o ambiente, gostam da música, acham o pregador eloquente ou, pior ainda, porque buscam algum benefício material. Mas conseguem manter as consciências tranquilas porque “estão na igreja” e estão falando de Deus. E ele poderia refutar as justificativas com uma simples observação: “Podem ser presentes legais para vocês, mas não foi isso que eu pedi”.

Para dar o presente perfeito para Deus, precisamos dar importância para as coisas que ele tem revelado nas Escrituras. Entre os fatos essenciais para a escolha do presente estão estes:

Deus merece a adoração e a obediência porque ele nos criou: “Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras. Servi ao SENHOR com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico. Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele quem nos fez, e dele somos; somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio” (Salmo 100:1-3).

Jesus merece nosso serviço e louvor porque ele se sacrificou para nos salvar. João viu o Cordeiro sacrificado pelos nossos pecados e ouviu a voz de milhões de adoradores dizer: “Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor” (Apocalipse 5:12).

A adoração verdadeira começa com a entrega de si mesmo para o Senhor: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Romanos 12:1).

O amor ao Senhor se manifesta, não em dar para ele o que nós queremos dar, mas em obedecer a sua palavra, assim dando-lhe o que ele pediu! Jesus disse: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos” (João 14:15).

–por Dennis Allan



Quem Está no Volante?

A Bíblia está cheia de ensinamentos práticos que usam os acontecimentos do dia a dia para ilustrar e reforçar importantes verdades espirituais. As coisas que acontecem em nossas vidas e ao nosso redor, também, ajudam para compreender a vontade de Deus. Jesus frequentemente citava as experiências das pessoas que viviam numa cultura agrícola. Se ele estivesse na terra nos nossos dias, daria para imaginar suas mensagens cheias de ilustrações práticas das nossas experiências. Na nossa vida atual, as notícias do trânsito e de acidentes trágicos nas estradas fazem parte da vida. Vamos considerar duas lições práticas destas experiências.

Você confia em quem?

No dia 22 de dezembro de 2012, um homem em São Paulo pilotava em alta velocidade um carro modificado para aumentar seu desempenho. Perdeu controle, e o veículo bateu fortemente numa árvore. O motorista foi levado ao hospital em estado grave, e a mulher dele, passageira no carro, morreu na hora.

Facilmente pensamos em uma lição óbvia: pense bem quando coloca sua vida nas mãos de algum motorista. Mas as lições espirituais são ainda mais importantes. Quando confia em alguém para conduzir e guiar você na vida, tenha cuidado. Na esfera espiritual, há muito perigo em confiar em líderes que não conhecem ou não respeitam a vontade de Deus. Jesus perguntou: “Pode, porventura, um cego guiar outro cego? Não cairão ambos no barranco?” (Lucas 6:39).

Uma das principais influências na nossa vida é o cônjuge. Quando o marido ou mulher se mostra fiel ao Senhor, é uma tremenda bênção, como foi o caso de Áquila e Priscila (1 Coríntios 16:19; Atos 18:26). Mas quando um dos dois for rebelde contra Deus, a vida se torna bem mais difícil. Jezabel foi uma influência terrível na vida do rei Acabe (1 Reis 12:25). Ananias e Safira agiram juntos contra Deus (Atos 5:1-9). Abigail foi fiel, mas enfrentou muitas dificuldades por causa do marido mau (1 Samuel 25:3). Solteiros, na escolha do cônjuge, pensem bem! E quem já casou, lembre que cada um é responsável por sua conduta. O cônjuge pode ajudar ou impedir, mas não ficamos isentos da nossa responsabilidade de obedecer a Deus.

Reconhece o perigo que vem na contramão?

No dia 23 de dezembro de 2012 um micro-ônibus que havia saído de São Paulo levando trabalhadores para passar os feriados do fim do ano com suas famílias chegou a Parnamirim, Pernambuco quando um caminhão conduzido por um motorista alcoolizado veio na contramão e bateu de frente com ele. 11 das 14 pessoas que estavam no micro-ônibus nunca mais passarão férias com suas famílias.

Estamos caminhando para a eternidade. Devemos escolher o único caminho que leva à vida eterna na presença de Deus: Jesus Cristo (João 14:6; Mateus 7:13-14). Na contramão vêm as práticas, doutrinas e filosofias que nos levariam para a perdição. Se sair da pista certa, o resultado será desastroso. A contramão oferece a imoralidade, a idolatria, a astrologia, as filosofias vãs dos homens, o materialismo e muitas outras alternativas que levam seus seguidores para longe da salvação em Jesus.

A palavra de Deus serve para nos guiar para a eternidade, mas o Senhor deixa o volante sob nosso controle. Decidimos em qual pista conduzir a nossa vida. A decisão de confiar em outros para nos guiar é nossa, e deve ser tomada com muito cuidado. As decisões erradas podem ser eternamente fatais!

Quem está no volante da sua vida?

–por Dennis Allan



quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Em Bateias, falar no celular só se for dentro do cemitério



Felipe Rosa

Celular facilita a vida de muitas pessoas, mas para quem mora em Bateias, uma localidade de Campo Largo, o aparelho é sinônimo de caminhada e dor de cabeça. Quem quiser utilizar uma das tecnologias mais populares hoje só entrando no cemitério. Para quem não tem coragem de ficar em meio aos túmulos resta tentar a sorte em frente ao portão.

“Os coitadinhos dos mortos que estão fazendo milagre para conseguir uma ligação para nós”, brinca com a situação a diarista, Eva Aparecida Santos, 35 anos.

E o uso do cemitério como ponto para fazer ligações é constante. O coveiro Marcelo Siqueira dos Santos, 37 anos, diz que ganhou companhia no trabalho com o aumento do número de celulares na região, mesmo que o sinal seja precário e praticamente inexistente, cada dia aprece um novo usuário e frequentador do cemitério. Os jovens e adolescentes são os maiores “clientes” de Marcelo.

“Antes eu era rodeado pelos mortos, agora sou rodeados pelos vivos. E você acaba ouvindo as conversas, e rindo dos assuntos. Sei da vida de muita gente aqui”, conta o coveiro, aos risos.

Marcelo também virou uma espécie de guia de sinal de celular. É ele quem orienta os moradores sobre os principais pontos para usar o aparelho e o trabalho começa cedo. “Abro o cemitério às 7 horas e já tem fila aqui. A meninada que estuda aqui ao lado fica esperando para usar o telefone e faz fila em frente ao túmulo número um, que é onde pega melhor o telefone”, conta Marcelo, que se diverte com as brigas dos casais de adolescentes. “Ele ficamos e desculpando porque têm que falar mais alto, gritar para o outro ouvir, Já ouvi cada coisa”, relembra o coveiro.

Mas há quem não goste de ficar entre os túmulos. A comerciante, Marina do Carmo Vichinheski Lovato, prefere ficar sem ligar se tiver de ir ao cemitério. “Não viu e nunca fui. Uso o telefone fixo se der ou não falo”, conta Marina.

A operadora TIM admitiu, através de nota, que seu sinal não está disponível na região de Bateias, mas que está analisando a possibilidade de ampliar o atendimento. “A TIM informa que não possui cobertura na localidade de Vila Bateias, um Distrito do município de Campo Largo - na região metropolitana de Curitiba - mas que vai analisar a demanda e verificar a possibilidade de desenvolvimento de estudos ao longo de 2013”, divulgou.

A operadora Claro não explicou a razão dos problemas na região, apenas afirmou que tem feito investimentos em melhorias. “A Claro informa que investe constantemente em qualidade e infraestrutura de rede, na região metropolitana de Curitiba, para oferecer aos seus clientes sempre os melhores serviços.”

A OI e a Vivo não atenderam às ligações da reportagem.

Usar o cemitério como ponto de uso de celulares virou uma grande brincadeira entre os moradores de Bateias, localidade de Campo Largo, mas também é um grande problema para todos da região. Quem não tem telefone fixo sofre também pela falta de orelhões.

A diarista Eva Aparecida Santos, 35 anos, teme pelos filhos. Ela trabalha na Rodovia Engenheiro Ângelo Ferrário Lopes e deixa os três filhos sozinhos na chácara onde mora.

“Lá não pega celular, não temos telefone fixo e nem orelhão e preciso caminhar meia hora para chegar até lá. Se acontecer alguma coisa, como vamos fazer para avisar ou socorrer?”, questiona.

O jovem Márcio Rosa dos Santos, afastado por invalidez pelo INSS, sabe bem o que é precisar de um telefone e não encontrar nenhum por perto. Há alguns anos, ele sofreu um acidente de moto e ficou por horas esperando pelo socorro. “O celular não tinha sinal e o orelhão não funcionava. Minha mãe teve de andar um tempão até conseguir chamar uma ambulância. Fiquei cinco dias na UTI”, relembra Márcio.

Os comerciantes lamentam não poder vender mais. Uma torre que gerasse bom sinal aumentaria a procura por recargas de celular.

“Venderia mais. Toda semana eu recebo recarga, mas se tivesse a torre seria muito melhor”, explica Marina do Carmo Vichinheski Lovato, que oferece cartões de todas as operadoras.

E não são apenas moradores da região que são afetados. Turistas, viajantes e trabalhadores que prestam serviço em Bateias são diretamente atendidos. “Já perdemos serviço porque o telefone não pega aqui”, lamenta Maycon Talamini, 22 anos, técnico em mecratônica, que está prestando serviços na região com o amigo Luiz Henrique de Ávila Sabino, 19 anos.


Você usaria esse banheiro com paredes transparentes?



No térreo, vaso fica à vista dos passantes. Foto: José Aldinan/Gazeta do Povo.

No apuro, o leitor diria que até usaria esse banheiro com vidros transparentes.
Pois bem, os banheiros que têm paredes transparentes azuis são do novo Conservatório Dramático Musical Maestro Paulino Martins Alves.

O prédio pertence à prefeitura de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais, no Paraná. A obra custou aos cofres públicos cerca de R$3,5 milhões.

O problema é que o vaso sanitário fica completamente visível aos passantes no andar térreo do prédio, que fica no centro da cidade. O banheiro indiscreto está causando polêmica entre os pontagrossenses.

Com informações do repórter Derek Kubaski, especial para a Gazeta do Povo.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best WordPress Themes